Tag: sorriso


Despedida matutina


Um dos primeiros desejos de todos os pais é, ao chegar em casa no final do dia de trabalho, o filho vir correndo (ou engatinhando) para receber um beijo e um abraço bem apertado.

Quando vamos pegar o Tom na escola é exatamente isso que acontece! Ele pode estar brincando, dançando, ou simplesmente andando pra lá e pra cá, que ao nos ver imediatamente abre um sorriso lindo e vem correndo.

Mas existe o outro lado da moeda. O momento da despedida. E nesta semana comecei a passar por isso ao sair para trabalhar. Como estamos tentando colocar um novo ritmo na casa, indo cedo para a cama e consequentemente acordando cedo também, todo mundo começa a despertar quando eu saio. Isso quer dizer que o Tomás me vê saindo, e ele não gosta!

Ontem cheguei atrasado no trabalho porque fiquei com ele no sofá um tempão vendo desenho na TV. Ele não queria me deixar sair, e foi um chororô danado. Hoje ele levantou correndo da cama e veio me pegar na sala, pedindo colo. Levei de volta pro quarto e dei uma mamadeira, aproveitando para sair enquanto ele tomava o leite. Segundo a Mamãe, quando ele percebeu que eu já não estava mais em casa, chorou um pouco.

O Gael ainda é muito pequeno para perceber essas coisas, mas que ao chegar em casa e dar oi pra ele, ele dá um sorrisão, ahhhh isso dá!


Dia 289 – Riso, Abraço e Felicidade


Quando se sonha em ser pai (e com certeza mãe), algumas imagens se formam, alguns desejos.

Deitar no sofá com ele no peito, enquanto faz um cafuné gostoso e ele fica quietinho, quase dormindo, ou dormindo mesmo.

Vê-lo no berço, seguro, protegido e feliz.

Ou ainda quando ele efetivamente vê você. No começo da vida eles olham, mas não veem. Só que chega o dia em que ele olha para você, no olho, e você percebe que ele está te vendo de verdade. Logo depois disso começam os sorrisos quando os olhares se encontram, e as brincadeiras de “cadê o bebê…achou”! E isso chega junto com as risadas e, coisa mais gostosa, gargalhadas! O Biscoito dá umas gargalhadas que fazem qualquer noite mal dormida ficar no passado remoto e encher o coração de felicidade.

A próxima fase é a dele descobrindo o ambiente, engatinhando. O Biscoito eu achava que talvez fosse pular essa fase e ir direto para o caminhar, já que ele adora ficar de pé (se levantando sozinho inclusive, claro que apoiado em algo). Mas ter equilíbrio para andar sozinho não é fácil, e nem todo lugar tem onde se escorar, então invariavelmente tem que engatinhar às vezes. No caso do Biscoito não é às vezes, é bastante! E quando ele liga o turbo então, corre porque ele foge!

Nesta fase, só faltava uma coisa ele fazer, e hoje ele fez. Ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, ele sempre ri pra mim, e quando chego perto pede colo, me dando um abraço gostoso. Mas hoje foi além. Ele estava no chão, brincando, e quando abri a porta e ele me viu, abriu um sorrisão e veio corren…..engatinhando no modo turbo! Nem esperei ele colocar as mãozinhas na minha calça para se levantar e pedir colo! Agachei, peguei e dei um abraço que foi deliciosamente retribuído! Nesse momento todo o estresse pelo trabalho, trânsito, cansaço, sono, fome somem, e fica só a sensação de ser pai. E dele saber que sou seu pai e que sempre estarei ao seu lado protegendo-o, cuidando, e amando-o.


Dia 242 – 2/3 do primeiro ano se passaram


Há 8 meses atrás ele estava nascendo. Vinha ao mundo a pessoinha que mudaria completamente nossa vida, virando tudo de ponta-cabeça, chacoalhando, revirando e nos fazendo sentir uma felicidade que não tem explicação.

Não tem explicação chegar em casa e receber o sorriso dele, com os braços abertos, pedindo colo.

Não tem explicação correr pela casa com ele no colo brincando, e ouvir sua gargalhada.

Inexplicável é ver a alegria dele ao acordar e ver que a Mamãe e o Papai estão ali, do lado.

Sem explicação a alegria dele no banho, tentando ficar de pé para olhar o que tem embaixo da banheira.

Inexplicável ter noites mal dormidas porque ele chora, ou sente desconforto, e nós temos que niná-lo para que ele descanse, e não se arrepender nem por um segundo de nada.

Não dá para explicar ele olhar para nós, ver o amor, a ternura e a segurança nos olhos dele, nos dando a certeza de que estamos fazendo tudo certo.

Nada disso tem explicação, e mesmo que tivesse, não faz a menor diferença, pois sentir e ver tudo isso faz tudo ter sentido. Mesmo sem sentido.

Três quartos do primeiro ano de vida do Biscoito se passaram. Logo logo chegará o aniversário dele. É muito rápido. Rápido demais. E indescritível!

 


Dia 100 – “Ei pai, olha eu aqui”


Estávamos Mamãe e eu no sofá, vendo TV, e o Biscoito sem querer dormir. Ficamos com ele no colo, até que a Mamãe colocou ele no sofá, meio que sentado e encostado nela (até porque ele ainda não senta….ia tombar rapidinho). E continuamos vendo Masterchef no YouTube.

Aí escuto um “bléééééé”….certamente era o Biscoito emitindo sua opinião sobre o prato sendo mostrado no programa. Ouço um “nhééééééé”….viro pra ele pra dizer que aquele prato estava bonito, e ele está olhando pra mim! Estava querendo chamar a minha atenção! Foi só olhar pra ele, e aquele sorriso lindo, de orelha a orelha, que deixa as bochechas com duas bolotas e mostra aquela boca banguela, aparece!

Pergunto se ele estava conversando comigo, só para ter certeza absoluta, e ele sorri de novo!

Aí não deu….tive que pegar no colo! Depois de um apertão coloquei ele de frente pra mim, em pé. Ele fixou os olhos na parede atrás do sofá, e do nada começou a me escalar, subindo pela minha barriga, até o peito, tentando chegar o mais perto possível dos quadros que estão ali!

Não tem como não se apaixonar!


Dia 87 – Das Pequenas Alegrias


Ontem, para dar um descanso aos braços da Mamãe, fiquei com o Biscoito assim que cheguei em casa do trabalho. Mais à noite, depois do banho e da mamadeira, ele acabou dormindo no meu colo. Consegui ficar sentado no sofá, enquanto assistíamos Masterchef (que aliás nos deu uma vontade enorme de comer sardinha…a qual foi saciada depois).

Em dado momento eu olhei pra ele, e ele estava com os olhos bem abertos, arregalados mesmo, olhando pra mim, e assim que olhei ele sorriu! Mas não foi um sorriso pequeno, ele realmente deu uma risada, daquelas que mostram todos os dentes, exceto pelo fato dele não ter nenhum.

Hoje de manhã, antes de sair para o trabalho, preparei a mamadeira que a Mamãe daria pra ele, e ela deu a ideia de eu tirá-lo do berço para que ela pudesse dar o tetê, assim poderia dar um abraço nele, beijá-lo e desejar um bom dia antes de sair. Ele não estava chorando, apenas se mexendo e se espreguiçando (já falei como ele se espreguiça gostoso?), e assim que apareci para pegá-lo ele já esboçou um sorriso. Quando o peguei então ele efetivamente sorriu!! Aí não resisti e tive que dar um abraço bem apertado nele! E ele continuou sorrindo!

São pequenos atos, pequenas reações que fazem nosso coração se encher de felicidade, e deixam o dia mais leve e alegre. Sair de casa depois de um sorriso do seu filho não tem preço! O dia passa mais rápido, pois você sabe que ao chegar em casa ele estará lá, te esperando, pronto para mais uma risada!


Dia 80 – Quem é esse bebê?


A Mamãe passa o dia inteiro com o Biscoito, enquanto eu morro de inveja no trabalho! Então ela brinca com ele, conversa, interage. E ontem aconteceram duas coisas sensacionais, mostrando o desenvolvimento dele.

Ela me contou que estava com ele na cama à tarde, descansando. Ele estava prestando atenção nela (ou simplesmente virando a cabeça pra lá e pra cá), e a TV estava ligada. Quando começou o jogo de futebol que a RGT transmitiu ele imediatamente virou a cabeça para a TV e ficou olhando! Será que temos um filho esportista? Ou é como o pai: só gosta de ver? É, porque eu sou uma negação em qualquer esporte que envolva uma bola. Exceto taco. Jogando taco eu era bom!

Agora preciso verificar se ele gosta apenas de futebol ou se é de esportes em geral. Não vejo a hora da temporada da NFL começar para assistir jogos com ele!!!

E o segundo acontecimento, esse mais especial ainda: ele se reconheceu! Muitas vezes quando estou com ele no colo o deixo de costas pra mim, assim ele consegue ver todo o ambiente, e fico parado em frente ao espelho da sala, perguntando quem é esse bebê. Às vezes noto que há contato visual, olho no olho, dele com ele mesmo. Mas nunca houve nenhuma reação mais específica…depois de poucos segundos ele volta a mexer a cabeça e olhar em volta. E sim, faço isso ficando bem perto do espelho, já que a capacidade visual dele ainda não está 100%.

Mas nesta quinta a Mamãe estava filmando ele com o celular, usando a câmera frontal, portanto a tela estava virada para ele, e quando ela perguntou quem é esse bebê, ele estava olhando para a tela e sorriu! Mais à noite, quando eu já estava em casa, ela mostrou a filmagem para ele, e novamente ele sorriu!

Ou efetivamente se reconheceu, ou sinto que teremos problemas com uma criança que não largará o celular! Prefiro acreditar na primeira opção! 🙂


O que ninguém conta


Ao se pensar em bebês a primeira coisa que vêm à mente é a fofura. Não há como resistir àqueles olhinhos inocentes, aqueles bracinhos gorduchos, aquelas perninhas balançando como se estivessem numa aula de step. Aí então começam as brincadeiras sobre o cocô, o estoque de fraldas que teima em abarrotar o armário, e que no começo parece que nunca será usado, mas com o passar do tempo você descobre que pode ser pouca fralda.

Todo mundo avisa para aproveitar muito bem as noites de sono, pois elas serão raras após o nascimento. No começo você dá risada, mas depois de um tempo vai ficando chato ouvir isso. Esse é o problema: como todo mundo dá esse aviso os pais acabam cansando e começam a não prestar mais atenção achando que é mais uma brincadeira. Não é. Quando dizem que o bebê vai acordar de 3 em 3 horas para mamar, é porque ele vai acordar de 3 em 3 horas! Não interessa se são 10 da manhã, 3 da tarde ou 2 da madrugada. Ele está com fome, vai acordar e vai chorar. E chorar alto.

Não pense que são 3 horas após o final da mamada! Não é não!!! A cada 3 horas ele vai acordar, não interessa se a mamada levou 10 minutos ou 2 horas! O problema é seu se não teve tempo para dormir entre o início de uma e o início da próxima. Isso se você tiver sorte e conseguir saciar a fome do pequeno rebento. Ele pode acordar de 2 em 2 horas. E você sequer dormir!

E por fim chegam os detalhes sobre o qual ninguém fala, ninguém avisa, ninguém ensina. Não me lembro de ter ouvido sobre as toneladas de roupas para lavar. Parece óbvio, afinal o bebê não ficará pelado! Mas é uma obviedade que não enxergamos antes. Lembrando que essas toneladas de roupas consomem toneladas de sabão e de amaciante (é, você não vai querer colocar no seu bebê lindo uma roupa com cheiro ruim ou que fique pinicando ele). A cada 2 ou 3 dias a máquina de lavar é acionada para 2 ou 3 levas de roupas do Biscoito. E não é porque nós trocamos a roupa dele a todo momento porque gostamos de vê-lo vestido diferente toda hora…é porque o xixi vazou da fralda mal colocada (ou fez mais xixi do que a fralda consegue aguentar), o cocô sujou a roupa quando ele balançou aquelas pernas gostosas durante a troca querendo brincar, o leite saiu pelo canto da boca ou deu uma gorfadinha de nada, ou porque simplesmente tomou banho e não vai colocar a mesma roupa de volta.

Nossa máquina também seca. Mas roupa de bebê dizem que é melhor secar naturalmente, no varal. Então tome enchê-lo com a roupa dele. Pelo menos ela é pequena e não precisamos comprar mais um varal. Os dois que temos dão conta. E com sorte ela vai secar rápido!

Já comentei sobre as fraldas de boca? Aquelas usadas para secar a babinha ou recolher o leite que vazou, aquelas que nunca estão perto quando você as precisa e que adoram visitar o chão? Vai uma meia-dúzia por dia!

E aquela outra fralda, maior, usada para cobrir o trocador? Essa na qual ele adora fazer um xixi ou acaba sujando de cocô quando faz aquele serviço. Ou usa para limpar o bebê naquele momento em que a fralda de boca visitou o chão.

Falei sobre a roupa de cama que teve que lavar correndo porque a fralda não segurou o xixi? Sua roupa de cama, claro, pois ele estava dormindo com você!

Mas também tem aquilo que todo mundo conta: a primeira vez que ouve as batidas do coração no primeiro ultrassom quando ainda nem acredita muito na gravidez, o primeiro sorriso mesmo que seja um espasmo quando vai dormir, ou o primeiro sorriso de verdade que ele dá brincando com você e olhando nos seus olhos, o pum que ele solta enquanto está mamando e você acha lindo (agora, pois quando crescer vai levar tapa na bunda quando fizer), aqueles olhinhos vendo tudo com cara de descoberta e curiosidade.

Tudo isso que todo mundo conta, mas que não dá para explicar o sentimento que é ao ver seu filho fazer! E mesmo que alguém consiga palavras para explicar, jamais conseguirá transmitir a sensação de felicidade extrema que esses pequenos atos dão, e que fazem esquecer completamente tudo aquilo que ninguém conta.

E mesmo que não faça esquecer, faz valer a pena!


Dia 37 – O Primeiro Sorriso


Antes de dormir o Biscoito sempre tem um ritual, pelo menos quando faz isso no meu colo: bocejar (muito!), dar uma choradinha, virar a cabeça de lado e fechar os olhos. Nessa sequência. Eu sei que ele está quase dormindo porque dá uma risadinha de lado, com o canto da boca. Nós sabemos que essa risada é involuntária.

Só que neste 37o. dia de vida ele deu um sorriso porque quis! Ele sorriu para a Mamãe!

Ela me ligou por vídeo para tentar mostrar, para ver se ele sorria de novo, mas é claro que o Biscoito tem personalidade e só vai fazer as coisas que quer quando quer. Se eu fiquei emocionado quando vi a foto do sorriso, imagino como deve ter ficado a Mamãe ao ver ao vivo!

Ao mesmo tempo me bateu uma tristeza, por saber que muitos desses momentos eu vou perder por não estar com ele, perto dele. Talvez eu não esteja junto quando ele der o primeiro passo, ou falar a primeira palavra.

Mas neste mesmo dia ele me deu uma alegria imensa: me reconheceu! Ou pelo menos temos quase certeza disso. Estávamos trocando ele, e eu passei por trás da Mamãe, e mostrei só meu rosto falando com ele “cadê o bebê”, e ele olhou pra mim e fez cara de surpresa, como que dizendo “ohhhh….você”!!!

Não vejo a hora de chegar o dia de, ao voltar pra casa depois de um cansativo dia de trabalho, ele olhar pra mim e abrir o bocão com um sorriso lindo e esticar o braços para receber meu abraço!