Tag: engatinhar


Dia 366 – Adeus barreiras!


O Biscoito fica de pé sozinho desde os seus 7 ou 8 meses. Sempre se escorando em algo. Ainda não consegue ficar de pé sem segurar em algo, mas já se equilibra. Assim como também já dá seus passinhos. Cambaleantes, fato.

Engatinhar ele já faz com maestria e rapidez.

Muitas vezes o deixamos em cima do sofá ou da cama porque não queremos, por algum motivo qualquer, que ele fique no chão (como sujar a roupa que acabamos de colocar, por exemplo), e ficávamos de olho para que ele não caísse.

Pois bem, esse risco agora já foi reduzido, pois ele desce da cama e do sofá. E desce direitinho, não é se jogando não!! Ele vai de ré até a beirada, quando começa a sentir que os pés estão pra fora. Aí vai escorregando o corpo até chegar no chão! Claro que isso na cama implica muitas vezes num pequeno tombo, pois ela é alta e as perninhas ainda não são compridas o suficiente. Mas no sofá vai sem sobressaltos!

Então ele já engatinha, fica de pé, anda um pouco e desce dos lugares. O próximo passo para a independência móvel dele era subir nas coisas. Era.

Estava eu sentado no sofá, com o computador no colo, quando ele chega. Levanto o computador para que ele não aperte nenhuma tecla que não deve. Claro que ele não se deu por vencido e começou a subir pelas minhas pernas, até chegar no colo, e quase alcançar o computador que neste momento já estava acima da minha cabeça.

Assim que ele aprender a subir sozinho, talvez tenhamos um grande problema no quarto dele em relação ao berço. Vamos ter que retirar todas as almofadas que deixam os lados protegidos, pois ele pode começar a utilizá-las para escalar e tentar sair. Que orgulho!!!


Dia 336 – Beijinho, Beijinho, corre que o Papai vem aí!


Quase todo dia de manhã, ao acordar, a Mamãe me liga via Facetime para dar bom dia e para eu dar bom dia pra ela e pro Biscoito. E todas as vezes ele coloca o celular na frente do Biscoito para que eu o veja e ele me veja. Já tem um bom tempo que ele me reconhece, muitas vezes até tentando pegar o celular (e às vezes conseguindo). Antes de desligar eu mando beijos para ele….e nesta segunda-feira ele mandou um beijo de volta!

Ok, não foi assim um beijo de verdade, mas o movimento da boca indicou que era isso exatamente o que ele queria fazer! Surpresa e felicidade total minha e da Mamãe!

E neste mesmo dia ele demonstrou mais uma vez que já está com vontades próprias. Sempre que está no chão nós temos que ficar atrás dele para evitar que pegue chinelos, sapatos, sacolas, fios, rabo de gato, etc. Nós tínhamos acabado de chegar, e compramos uma roupinha pra ele. Tiramos a etiqueta, para colocar a roupa pra esterilizar, e a etiqueta caiu no chão. Ninguém viu e ficou ali por um tempo, até que o Biscoito engatinhou até ela, cuspiu a chupeta, pegou o papel e foi colocar na boca. Nessa hora eu vi, e fui até ele dizendo as palavras mágicas que todo bebê aprende a reconhecer imediatamente: “não, não pode!“.

O que ele fez? Segurou o papel e antes que eu chegasse saiu em disparada, fugindo de mim! Claro que o saindo em disparada não é nem de longe uma velocidade Usain Bolt….tá mais pra Dorival Caymmi pós-feijoada, e 1 metro depois o peguei e tirei a etiqueta da mão.


Dia 289 – Riso, Abraço e Felicidade


Quando se sonha em ser pai (e com certeza mãe), algumas imagens se formam, alguns desejos.

Deitar no sofá com ele no peito, enquanto faz um cafuné gostoso e ele fica quietinho, quase dormindo, ou dormindo mesmo.

Vê-lo no berço, seguro, protegido e feliz.

Ou ainda quando ele efetivamente vê você. No começo da vida eles olham, mas não veem. Só que chega o dia em que ele olha para você, no olho, e você percebe que ele está te vendo de verdade. Logo depois disso começam os sorrisos quando os olhares se encontram, e as brincadeiras de “cadê o bebê…achou”! E isso chega junto com as risadas e, coisa mais gostosa, gargalhadas! O Biscoito dá umas gargalhadas que fazem qualquer noite mal dormida ficar no passado remoto e encher o coração de felicidade.

A próxima fase é a dele descobrindo o ambiente, engatinhando. O Biscoito eu achava que talvez fosse pular essa fase e ir direto para o caminhar, já que ele adora ficar de pé (se levantando sozinho inclusive, claro que apoiado em algo). Mas ter equilíbrio para andar sozinho não é fácil, e nem todo lugar tem onde se escorar, então invariavelmente tem que engatinhar às vezes. No caso do Biscoito não é às vezes, é bastante! E quando ele liga o turbo então, corre porque ele foge!

Nesta fase, só faltava uma coisa ele fazer, e hoje ele fez. Ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, ele sempre ri pra mim, e quando chego perto pede colo, me dando um abraço gostoso. Mas hoje foi além. Ele estava no chão, brincando, e quando abri a porta e ele me viu, abriu um sorrisão e veio corren…..engatinhando no modo turbo! Nem esperei ele colocar as mãozinhas na minha calça para se levantar e pedir colo! Agachei, peguei e dei um abraço que foi deliciosamente retribuído! Nesse momento todo o estresse pelo trabalho, trânsito, cansaço, sono, fome somem, e fica só a sensação de ser pai. E dele saber que sou seu pai e que sempre estarei ao seu lado protegendo-o, cuidando, e amando-o.