Tag: berço


Se meu berço chorasse


O Gael é um bebê calmo, muito calmo! Ele chora em alguns poucos casos.

Pode estar com fome, o que é fácil de saber: basta fazer as contas para saber o horário da mamada. Se estiver perto, coisa de 20 minutos mais ou menos, pode apostar que é dar a mamadeira que ele se acalma. E durante o dia raramente o intervalo entre mamadas passa das 3 horas! À noite já é relativamente comum ele espassar os intervalos.

Outro motivo de choro pode ser o desconforto, principalmente com a fralda. Ele faz muito, mas muito xixi!! Faz tanto que tivemos que trocar a marca da fralda porque a anterior não segurava à noite. Então se a fralda estiver cheia pode apostar que vai ter reclamação. E também odeia ficar com cocô. Mas até aí quem gosta, não é?

Sono. Este também é um grande motivo para choro do Gael. E junto a ele aparece um dos principais motivos de reclamação do pequeno: ficar no bercinho (que por enquanto não é exatamente o berço, mas o moisés do carrinho). Ele fica por algum tempo, mas tem que ter alguém junto! Sozinho nem pensar!

Para colocar ele pra dormir cada um tem sua tática em casa…a Mamãe dá um pouco de peito. Eu, na ausência desse equipamento, tenho que ficar com ele no colo. E o melhor: não posso ficar sentado! Assim que eu sento o altímetro dele dispara e junto vem o bico, o lábio tremendo, a lágrima dos olhinhos e o berreiro. Nessa exata ordem. Tenho que ficar andando com ele e chacoalhando. Ele vai dar uma resmungada e logo em seguida vai fechar os olhos. Claro que até resmungar podem se passar algumas horas.

No carro ele é exatamente como era o irmão: carro parado, choro constante. Carro andando, silêncio. E o velocímetro já funciona muito bem, obrigado. Assim que o carro começa a diminuir a velocidade e baixa dos 20Km/h, ele já começa a reclamar.

O melhor de tudo são as gargalhadas que ele dá! E também as altas conversas filosóficas com todos que se dispõem a dar atenção a ele! Se o Tomás não se cuidar, o Gael começa a falar antes que ele.


Dia 244 – Atenção, Berço em Obras!


O Biscoito já há algum tempo fica de pé. Não sozinho, claro, mas segurando nossa mão ou tendo algum apoio.

Aliás, é lindo quando está deitado e estica os bracinhos, pedindo para darmos as mãos pra ele segurar e ficar de pé. A cara de esforço dele é impagável! E o rosto de felicidade ao ficar de pé então, é mágica! Mas nem pense em fazer só metade do caminho, deixando-o sentado, a menos que queira ouvir choro. Muito choro!

Ele também já se vira sozinho, no sentido de virar de barriga pra cima e barriga pra baixo. Muitas vezes ele está sentado, aí vai escorregando e acaba ficando de barriga pra baixo. Até a semana passada ele tentava se desvirar, não conseguia, e nos chamava para salvá-lo…ao escrever chamava estou querendo dizer gritava ou chorava, ok?

Mas neste domingo pela primeira vez eu vi ele se desvirando sozinho enquanto brincava no tapete da sala. Ele também já se movimentava no berço enquanto dormia. Sempre o colocamos bem pra cima no berço, pois há um travesseiro anti-refluxo embaixo do lençol, para ele ficar um pouco inclinado, e hoje já é normal depois de um tempo ele estar com os pés escostados na parte de baixo do berço. Isso, claro, quando não está virado, tendo girado 90 graus.

E neste domingo também o coloquei no berço, sentado, encostado no protetor que fica junto à parede, enquanto fui encher a banheira para o banho dele. Deixei alguns brinquedos para ele ir se distraindo.

Depois de um tempinho fui olhar como ele estava.

Tive que sentar na poltrona pois não acreditei: estava de pé, segurando na grade do berço, na parte que fica para o quarto. Ele atravessou o berço (ok, não é uma distância grande, já que é apenas a largura do colchão), e subiu sozinho na grade.

Depois do susto veio o orgulho por ver ele fazendo as coisas sozinho, cada vez mais independente! E a certeza de que nesta segunda-feira teremos obras no berço para rebaixar o colchão.