Tag: banana


A primeira fruta


O Gael está perto de completar 6 meses, então também chegou o momento do primeiro grande passo na vida dele: começar a comer!

Escolhemos o sábado, assim tanto eu quanto a Mamãe poderíamos acompanhar as primeiras mordidas dele (não que ele já tenha dentes para morder, é apenas figura de linguagem…apesar que já notamos que os dentinhos estão começando a aparecer). Fomos atrás das frutas torcendo para que não acontecesse o mesmo que rolou com o Tomás.

Tivemos mais sorte e deu para comprar várias frutas pro caso de alguma não estar boa pra ele. Mas a escolha mais óbvia, claro, foi a banana! Para deleite da Mamãe! Conseguimos comprar 4 bananas maduras, prontas para o consumo. E também mais algumas ainda um pouco verdes, para o resto da semana.

Ao chegar em casa eu fui provar uma das bananas para ver se estava boa. Passou no controle de qualidade. Deixei em cima da pia enquanto montávamos a cadeirinha, limpávamos o pratinho, em suma, preparávamos o ambiente. O Tomás viu a banana e só parou de gritar quando demos pra ele. Aquela que já estava aberta. Não aceitou uma nova.

Então lá fui eu pegar outra banana para dar ao Gael. Cortei um pedacinho para amassar, outro pedacinho para dar na mão dele…e o resto obviamente o Tomás pediu de novo e comeu.

A primeira colherada da banana amassada o Gael fez uma cara do tipo “o que é isso que vocês estão me dando? Eu quero tetê, não esse troço melado”! Na segunda colherada já não fez careta…e daí em diante foi comendo a banana. O pedacinho que separamos pra ele pegar era pequeno demais, então não conseguia segurar. Peguei outra banana para dar um pedaço maior pra ele. E obviamente o Tomás comeu o resto.

No domingo, após o almoço, demos melancia para o Tom, e a Mamãe acabou pegando um pedaço pequeno para dar ao Gael. Ele chupou sem muita empolgação no começo, mas depois até segurou sozinho e levou na boca!

IMG_1200

No final do dia, mais um pouco de banana. Dessa vez o pedacinho amassado foi todo comido, e o pedaço maior que era pra ele segurar acabou também sendo mordido! Ele deu várias bicadinhas em volta!! E quem comeu o resto da banana? Não, não foi o Tom! Foi o Papai mesmo!

Acho que começamos bem com a introdução alimentar do Gael!

Que venham o feijão e a costela!!


Dia 327 – O Biscoito, o Cinema e o Restaurante: Uma Cólica Extraordinária


A Mamãe estava doida para ir no cinema assistir um filme, mas com o Biscoito fica meio difícil (a menos que alguém…cof cof Dona Sogra cof cof…fique com ele), pois ir no cinema com um bebê é, acima de tudo, extremamente desrespeitoso com as outras pessoas que estão na sessão! Ele vai chorar, vai ter fome, talvez fique impaciente e queira brincar, enfim um tormento para quem não tem filhos ou simplesmente quer um momento de paz numa sala de cinema.

Aí ela descobriu o CineMaterna. A ideia é simples: sessões de cinema especiais, em horários alternativos, onde mães podem levar seus bebês. E bebês mesmo!! Poucos ali já andavam! E eu falei mães??? Pais também! Eu diria inclusive que a esmagadora maioria dos bebês estava acompanhada de mãe e pai.

As sessões são em sua maioria durante a semana, no período da tarde, o que nos complica a vida já que eu tenho que trabalhar! Mas uma vez por mês fazem uma sessão aos sábados! E ela ocorreu neste sábado, no Shopping Vila Olímpia. Nunca vi um congestionamento tão grande de carrinhos de bebês. Fomos Mamãe, Biscoito, tio Kadu, tia Dedéia, priminho Ben e, claro, eu.

A organização do evento foi impecável ao meu ver. A sala em momento algum fica no escuro total, na área embaixo da tela, que tem um espaço relativamente grande, foram colocados dois trocadores para que ninguém precise sair da sala em caso de urgência, colocaram tapetes de EVA para os bebês brincarem, e montaram um estacionamento para os carrinhos do lado de fora da sala (isso inclusive explica perfeitamente o porquê das sessões serem em horários alternativos e não haver mais nenhuma sessão em nenhuma sala…seria complicado o trânsito de muitas pessoas por ali).

Durante o trailler, demos banana para o Biscoito, então vira e mexe ele dava uns gritos do tipo “acabou o pedaço que estava na minha boca, tem jeito de dar mais uma mordida ou tá difícil?“, que a princípio me deixaram um pouco encabulado pensando no que os outros iam falar. Só que aí lembrei (na verdade meus ouvidos me lembraram) que havia outras dezenas de bebês ali, e todos estavam fazendo a mesma coisa! Em alguns momentos durante o filme parecia haver uma sinfonia com tantos bebês chorando!

Pouco antes do filme começar ele ficou mais chatinho, aí lembramos que a chupeta poderia resolver o problema. Só que ela ficou no carrinho, estacionado lá fora da sala. Acabei indo com ele buscar a dita e voltamos. Ele ficou por cerca de 1/3 do filme pulando do meu colo para o colo da Mamãe, até que o sono começou a bater mais forte e eu desci com ele, para caminhar na parte de baixo da sala. Assim a Mamãe poderia continuar a ver o filme e ter um pouco de descanso.

Eu não era o único aliás. O corredor lateral da sala tinha bastante gente na mesma situação. Ele dormiu rapidinho e eu decidi ficar lá embaixo mesmo, assim não correria o risco dele acordar. Já perto do final voltei pro nosso lugar e, obviamente, ele acordou! Mas aí já estava mais tranquilo.

Ao final da sessão, fomos pra praça de alimentação dar o almoço pros bebês e pensar onde nós almoçaríamos. Decidimos ir num restaurante italiano, onde fomos muito bem recebidos pelo dono/chefe/maître/sócio/sei lá eu o que e fomos pra mesa. Chegou o couvert e começamos a comer. O couvert era pão e um prato com ervas e azeite.

O pão chegou quentinho na mesa, e a titia Dedéia deu um pedacinho pro Ben. Mamãe pensou um pouco, já que o brócolis e a banana que tínhamos levado já tinham sido devorados pelo Biscoito, perguntou o que eu achava, e concordamos em dar uma fatia pra ele.

Não preciso dizer que sequer migalhas ficaram pelo chão, né? Havia banana, brócolis, guardanapo, colher, garfo, mas pão? Nadinha!

Ele chupava o pão como se fosse uma lasanha (espera só ele provar uma de verdade…). Chegou a ficar com um pedaço em cada mão e outro na mesa. Mordia de uma mão, mordia da outra, pegava com a boca o pedaço da mesa, e assim foi até terminar.

Mas claro que tanta delícia cobra seu preço: à noite ele teve uma cólica forte, onde a barriguinha dele ficou até inchada e dura. Chorou bastante e só passou depois que demos remédio.

Mas tenho certeza que ele repetiria a dose mesmo sabendo o que passaria à noite! E nós? Com certeza!!!!!

Ahhhhh….qual era o filme? Já estava quase esquecendo! Foi Extraordinário. Belo filme! Valeu a pena!


Dia 181 – O grande dia


O final de semana reservou muita coisa especial! Parece que o universo conspira para que as coisas com o Biscoito sempre aconteçam no melhor momento. Ele fez 6 meses no domingo. O tempo passa muito rápido, e o desenvolvimento dele é cada vez mais rápido também.

É uma data que deve ser comemorada. É o início da alimentação dele além do leite, já nos reconhece, brinca, interage, fica sentado, e cada vez mais sorri. Não é um sorriso qualquer, é aquele que te revigora depois de um dia inteiro de trabalho, aquele que te dá a certeza de estar fazendo tudo certo e de que tudo vale a pena por ele.

No sábado tentamos dar a primeira refeição não láctea pra ele. Ok, não foi bem uma refeição, mas apenas introduzindo frutas. Não foi exatamente como esperávamos. E como não tínhamos frutas em bom estado saímos para comprar outras, tentando achar alguma madura.

No mercado uma funcionária foi inclusive até o estoque buscar um mamão mais maduro e levou pra gente na fila do caixa! É isso aí, Pão de Açúcar! Continue contratando funcionários assim!!!! E compramos mais um cacho de banana (que essa mesma funcionária nos ajudou a escolher).

Todo o ritual de novo…prepara a cadeira, limpa pratinho, amassa a fruta, corta um pedaço pra ele pegar, prepara o celular, e lá vamos nós.

Ele não quiz muito pegar a fruta, provavelmente porque estava meio molhadinha e escorregadia. Mas Mamãe foi corajosa e colocou na boca dele, passando pelos lábios e pela gengiva. Ele não fez uma cara muito amigável, mas não fez cara feia como fez com a maçã. Vamos então para a primeira colherada….que rufem os tambores! Pela reação dele ao colocar a colher na boca, arregalando os olhos, ele não gostou. Ele adorou!!! Deu um sorriso lindo e começou a pedir mais!

Ele gostou tanto que depois de mais umas 2 ou 3 colheradas, pegava a mão da Mamãe e levava até a boca querendo enfiar a colher toda lá dentro. Missão cumprida, e felizes com o resultado! O Biscoito gostou da sensação de comida! O próximo passo é apresentar pra ele costela, picanha, abobrinha, feijão e, o supra-sumo-mais-que-perfeito: bacon! #sqn