Tag: andar


Dia T547 – Choro, muito choro, mas com alegria


Neste dia era o retorno com o ortopedista, para retirar a tala de gesso que o Biscoito estava usando, tirar uma radiografia e ver como estava a fratura. É realmente incrível, no mal sentido, o medo que o Biscoito tem de médico. Definitivamente as visitas que fizemos ao hospital, e a consulta com uma pediatra que devia ser pedreira numa dessas vezes, deixaram sequelas no pequeno.

Para tirar a tala ele se desesperou, mas conseguimos tirar. Depois para fazer a radiografia foi outro sufoco. Mesmo ele tendo que ficar deitado apenas alguns poucos segundos, foi necessário que eu o segurasse e o médico segurasse a perninha na posição correta para que o técnico pudesse acionar a máquina. E chorou muito, mas muito! Se eu realmente não soubesse que isso era necessário, não teria deixado fazer.

O resultado foi melhor que a encomenda: a fratura estava se consolodidando melhor que o esperado, e não seria mais ncessário colocar gesso! A previsão era que ele colocasse um botinha de gesso entre o joelho e o pé. Mas como na radiografia a fratura não mais aparecia, o médico disse que não seria necessário. Liberdade!! Apesar que o médico já achava que seria assim mesmo ao ver ele entrando no consultório andando, com as próprias perninhas, apesar da tala.

A recomendação era de que o deixássemos o mais à vontade possível, sem estimular, sem forçar nada, pois como ele ficou 10 dias com uma tala que ia da coxa até o pé, poderia ficar com os movimentos prejudicados por algum tempo e até com dor. E assim estamos fazendo. Tentamos evitar que suba nas coisas, mas só tentamos, pois ele não tá nem aí.

Ainda está andando um pouco cambaleante, e não dobra o joelho totalmente ao andar, ficando meio duro. Mas dia a dia está melhorando e cada vez se movimenta melhor.

Só não contávamos com um resfriado no meio do caminho que está fazendo ele não comer direito nem dormir bem…


Dia T541 – Podia estar chorando, podia estar resmungando…


A maioria das pessoas acha que o adulto sempre deve ensinar tudo às crianças, pois estas não sabem de nada ainda. Em parte é verdade. Mas há coisas que as crianças podem ensinar aos adultos, e se estes aprendessem a vida seria tão mais simples, tão mais gostosa para todo mundo.

Os adultos poderiam, por exemplo, aprender sobre diversão. Para uma criança tudo é diversão. Por que para um adulto também não pode ser? O adulto precisa ser sempre sério, obtuso? Não é possível trabalhar com alegria e felicidade? Isso com certeza deixaria o ambiente muito mais agradável e o trabalho, por mais enfadonho que possa ser, mais leve.

Também poderiam aprender sobre resiliência. Resiliência? Pois é! Você não verá uma criança que nasceu sem uma mão chorando porque o amiguinho ao lado tem as duas. O que você verá é ela brincando como outra criança qualquer, e se adaptando ao mundo para usar uma mão apenas.

O Biscoito está com a perna engessada. A recomendação é que ele fique o mais quieto possível, não porque a fratura pode piorar, mas porque o pior que pode acontecer é o gesso quebrar! Aí teremos que ir ao hospital para colocar outro. Mas como deixar um bebê super ativo como ele, parado? Impossível! Principalmente porque ele não vai parar de querer brincar só porque está com gesso.

Hoje a Mamãe deixou ele no tapete da sala, com alguns brinquedos em volta. Não consigo andar para pegar o brinquedo que está longe? Não tem problema!! Posso me arrastar!

Brincar é muito mais importante que se lamentar.

Atrapalha? Incomoda? Com certeza!!! Mas a vida não para! Ele quer brincar, se divertir, assustar o Papai e a Mamãe (de brincadeira), continuar a descer no escorregador, tomar sol, passear, ter contato com outras crianças….ele quer continuar a ser ele mesmo! E isso gesso nenhum vai impedir!


Dia 366 – Adeus barreiras!


O Biscoito fica de pé sozinho desde os seus 7 ou 8 meses. Sempre se escorando em algo. Ainda não consegue ficar de pé sem segurar em algo, mas já se equilibra. Assim como também já dá seus passinhos. Cambaleantes, fato.

Engatinhar ele já faz com maestria e rapidez.

Muitas vezes o deixamos em cima do sofá ou da cama porque não queremos, por algum motivo qualquer, que ele fique no chão (como sujar a roupa que acabamos de colocar, por exemplo), e ficávamos de olho para que ele não caísse.

Pois bem, esse risco agora já foi reduzido, pois ele desce da cama e do sofá. E desce direitinho, não é se jogando não!! Ele vai de ré até a beirada, quando começa a sentir que os pés estão pra fora. Aí vai escorregando o corpo até chegar no chão! Claro que isso na cama implica muitas vezes num pequeno tombo, pois ela é alta e as perninhas ainda não são compridas o suficiente. Mas no sofá vai sem sobressaltos!

Então ele já engatinha, fica de pé, anda um pouco e desce dos lugares. O próximo passo para a independência móvel dele era subir nas coisas. Era.

Estava eu sentado no sofá, com o computador no colo, quando ele chega. Levanto o computador para que ele não aperte nenhuma tecla que não deve. Claro que ele não se deu por vencido e começou a subir pelas minhas pernas, até chegar no colo, e quase alcançar o computador que neste momento já estava acima da minha cabeça.

Assim que ele aprender a subir sozinho, talvez tenhamos um grande problema no quarto dele em relação ao berço. Vamos ter que retirar todas as almofadas que deixam os lados protegidos, pois ele pode começar a utilizá-las para escalar e tentar sair. Que orgulho!!!


Dia 329 – A Primeira Peça


Papai e Mamãe sempre fecham a porta do banheiro quando estou no chão. Acho uma tremenda sacanagem! Tem tanta coisa legal lá….tem um lugar que se empurrar um troço transparente, ele dobra e às vezes cai água do teto! E tem um monte de coisas grudadas nas paredes, que parecem desenhos.

E aquele negócio branco que parece um troninho e tem tampa? Eu quero ver o que tem dentro mas ninguém deixa! Sempre tiram minha mão quando vou levantar a tampa ou Papai coloca o joelho pra impedir, enquanto ele está enchendo a banheira pro meu banho!

Eles também fecham a porta do quarto deles. Eu adoro lá dentro! Quase sempre tem algum sapato no chão pra eu sentir o sabor! Também tem um tapete tão gostoso, que adoro ficar sentado nele enquanto puxo aqueles fios pra tentar fazer a TV descer e ficar mais fácil pra ligar e desligar. Sem contar aquela caixa grande atrás do armário, de onde o Papai tirou uma vez um negócio esquisito com um monte de cordas que ele fez sair som…..gostei tanto!! Pena que ele não faz isso muitas vezes….

Pelo menos meu quarto sempre fica aberto! Também, lá estão todos meus brinquedos! Eles iam ver só se o deixassem fechado! Hoje eu descobri um lugar muito legal, novo, e não sei porque a Mamãe ficou tão brava ao me ver ali! Ela sempre tenta me colocar lá em cima para dormir, mesmo eu já tendo falado pra eles várias vezes que prefiro dormir com eles. Entrei embaixo do berço e descobri várias caixas fechadas, que não consegui abrir! Será que são brinquedos que eles estão guardando pra mim? Se eu pedir com jeitinho será que eles me dão agora?

Quando o Papai chegou, eu entendi o porque da Mamãe ter ficado brava quando fiquei embaixo do berço…hihihi! Eu estava brincando enquanto ela cuidava da casa, e quando ela foi me procurar não me encontrou! Buscou em todo lugar, e eu fiquei quietinho pra ela não perceber onde eu estava pois ela ia querer me tirar de lá, tenho certeza!! E lá é tão gostoso, fresquinho, escurinho! Só que aí acabei fazendo barulho e ela percebeu…mas não brigou comigo não! Acabou achando engraçado, só não sei por que…


Dia 294 – Andador do Prof. Pardal


O Biscoito já se levanta sozinho, claro que se escorando em algo. Já fica de pé, também se segurando. Já caminha, com alguém segurando a mão dele, como dá para ver na imagem ao lado no passeio pelo shopping. Ou melhor, com ele segurando a mão de alguém! Nem tente segurá-lo pelos braços enquanto ele caminha pois ele vai empurrar a tua mão. É ele quem quer guiar, e não ser guiado. E ele segura forte!!

Mas ficar com os bracinhos pra cima cansa, e obviamente que ele não quer ficar engatinhando sempre, pois a visão de cima é muito mais legal (mesmo que sejam apenas alguns poucos centímetros a mais). E como ele é pouco esperto, pouco malandro e pouco inteligente, arranjou um andador!

Na sala de casa nós temos dois pufes com rodinhas, mas eles são um pouco altos então fica mais difícil andar com eles pra lá e pra cá. Só que no quarto dele, junto com a poltrona de amamentação, também tem um pufe, mais baixinho, para colocar os pés. Esse tem o tamanho ideal, e ele descobriu que é perfeito sair empurrando-o pela casa, usando-o de apoio para caminhar! Só o vizinho de baixo que talvez não tenha gostado muito.

Tô vendo o dia que esse moleque vai me ver pela sacada chegando de carro e vai me esperar na porta do elevador, sozinho!


Dia 289 – Riso, Abraço e Felicidade


Quando se sonha em ser pai (e com certeza mãe), algumas imagens se formam, alguns desejos.

Deitar no sofá com ele no peito, enquanto faz um cafuné gostoso e ele fica quietinho, quase dormindo, ou dormindo mesmo.

Vê-lo no berço, seguro, protegido e feliz.

Ou ainda quando ele efetivamente vê você. No começo da vida eles olham, mas não veem. Só que chega o dia em que ele olha para você, no olho, e você percebe que ele está te vendo de verdade. Logo depois disso começam os sorrisos quando os olhares se encontram, e as brincadeiras de “cadê o bebê…achou”! E isso chega junto com as risadas e, coisa mais gostosa, gargalhadas! O Biscoito dá umas gargalhadas que fazem qualquer noite mal dormida ficar no passado remoto e encher o coração de felicidade.

A próxima fase é a dele descobrindo o ambiente, engatinhando. O Biscoito eu achava que talvez fosse pular essa fase e ir direto para o caminhar, já que ele adora ficar de pé (se levantando sozinho inclusive, claro que apoiado em algo). Mas ter equilíbrio para andar sozinho não é fácil, e nem todo lugar tem onde se escorar, então invariavelmente tem que engatinhar às vezes. No caso do Biscoito não é às vezes, é bastante! E quando ele liga o turbo então, corre porque ele foge!

Nesta fase, só faltava uma coisa ele fazer, e hoje ele fez. Ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, ele sempre ri pra mim, e quando chego perto pede colo, me dando um abraço gostoso. Mas hoje foi além. Ele estava no chão, brincando, e quando abri a porta e ele me viu, abriu um sorrisão e veio corren…..engatinhando no modo turbo! Nem esperei ele colocar as mãozinhas na minha calça para se levantar e pedir colo! Agachei, peguei e dei um abraço que foi deliciosamente retribuído! Nesse momento todo o estresse pelo trabalho, trânsito, cansaço, sono, fome somem, e fica só a sensação de ser pai. E dele saber que sou seu pai e que sempre estarei ao seu lado protegendo-o, cuidando, e amando-o.


Dia 270 – Joelho, canelinha, cabeçada


Que o Biscoito é um tanto quanto preguiçoso nós já sabemos. Que ele é esperto, também. E juntar preguiça com esperteza pode gerar coisas engraçadas, como ele adorar ficar com a perna cruzada, largado no chão, encostado em almofadas, vendo TV. Ou ainda terminar de mamar, expulsar com a boca a mamadeira, e imediatamente fazer biquinho esperando pela chupeta. E se demorar mais do que um segundo em colocar, ele começa a chorar.

Ele já fica de pé sozinho. Se escorando, claro! Não tem força nas pernas e muito menos equilíbrio. E sempre que chegamos perto dele, estica as mãos para pegar nas nossas, sempre uma mão dele em uma mão nossa! Nada de usar as duas mãozinhas para pegar em apenas uma nossa! Para que ele faz isso? Para levantar e andar! Pois é, ele adora andar conosco segurando as mãos dele. Só nossa coluna não curtiu muito. E nem pense em tentar segurar os braços ou pelo sovaco, pois ele vai pegar tua mão e tirar dali!

E ele não anda devagar não!!! Podemos dizer que quase corre quando quer!

Por tudo isso, eu achava que ele ia pular a fase do engatinhar, e ia direto para o andar. Mas me enganei! Ele resolveu que engatinhar pode ser legal, principalmente se não tem ninguém para segurá-lo por perto. Agora todas as barreiras que colocamos para ele não enfiar o cocoruto no chão caso perdesse o equilíbrio não são mais eficientes…ele pode facilmente passar por cima engatinhando. Ou empurrando, o que for mais fácil.

Até hoje a pergunta mais ouvida era “o Biscoito tá sentado?”….agora já deve passar a ser “cadê o Biscoito?”…


Dia 244 – Atenção, Berço em Obras!


O Biscoito já há algum tempo fica de pé. Não sozinho, claro, mas segurando nossa mão ou tendo algum apoio.

Aliás, é lindo quando está deitado e estica os bracinhos, pedindo para darmos as mãos pra ele segurar e ficar de pé. A cara de esforço dele é impagável! E o rosto de felicidade ao ficar de pé então, é mágica! Mas nem pense em fazer só metade do caminho, deixando-o sentado, a menos que queira ouvir choro. Muito choro!

Ele também já se vira sozinho, no sentido de virar de barriga pra cima e barriga pra baixo. Muitas vezes ele está sentado, aí vai escorregando e acaba ficando de barriga pra baixo. Até a semana passada ele tentava se desvirar, não conseguia, e nos chamava para salvá-lo…ao escrever chamava estou querendo dizer gritava ou chorava, ok?

Mas neste domingo pela primeira vez eu vi ele se desvirando sozinho enquanto brincava no tapete da sala. Ele também já se movimentava no berço enquanto dormia. Sempre o colocamos bem pra cima no berço, pois há um travesseiro anti-refluxo embaixo do lençol, para ele ficar um pouco inclinado, e hoje já é normal depois de um tempo ele estar com os pés escostados na parte de baixo do berço. Isso, claro, quando não está virado, tendo girado 90 graus.

E neste domingo também o coloquei no berço, sentado, encostado no protetor que fica junto à parede, enquanto fui encher a banheira para o banho dele. Deixei alguns brinquedos para ele ir se distraindo.

Depois de um tempinho fui olhar como ele estava.

Tive que sentar na poltrona pois não acreditei: estava de pé, segurando na grade do berço, na parte que fica para o quarto. Ele atravessou o berço (ok, não é uma distância grande, já que é apenas a largura do colchão), e subiu sozinho na grade.

Depois do susto veio o orgulho por ver ele fazendo as coisas sozinho, cada vez mais independente! E a certeza de que nesta segunda-feira teremos obras no berço para rebaixar o colchão.


Dia 100 – “Ei pai, olha eu aqui”


Estávamos Mamãe e eu no sofá, vendo TV, e o Biscoito sem querer dormir. Ficamos com ele no colo, até que a Mamãe colocou ele no sofá, meio que sentado e encostado nela (até porque ele ainda não senta….ia tombar rapidinho). E continuamos vendo Masterchef no YouTube.

Aí escuto um “bléééééé”….certamente era o Biscoito emitindo sua opinião sobre o prato sendo mostrado no programa. Ouço um “nhééééééé”….viro pra ele pra dizer que aquele prato estava bonito, e ele está olhando pra mim! Estava querendo chamar a minha atenção! Foi só olhar pra ele, e aquele sorriso lindo, de orelha a orelha, que deixa as bochechas com duas bolotas e mostra aquela boca banguela, aparece!

Pergunto se ele estava conversando comigo, só para ter certeza absoluta, e ele sorri de novo!

Aí não deu….tive que pegar no colo! Depois de um apertão coloquei ele de frente pra mim, em pé. Ele fixou os olhos na parede atrás do sofá, e do nada começou a me escalar, subindo pela minha barriga, até o peito, tentando chegar o mais perto possível dos quadros que estão ali!

Não tem como não se apaixonar!