Filho de peixe…


Peixinho é com certeza, já que nasceu em 20 de fevereiro!

Mas no caso do Biscoito é mais que filho de peixe, é realmente minha cópia em alguns aspectos, e nem digo físicos. Cada dia que passa há mais reações parecidas com as minhas.

Uma das primeiras que a Mamãe notou é como ficamos em posições iguais em vários momentos. Por diversas vezes ela olhou para o Biscoito, olhou para mim, e deu uma risada do tipo “não é possível“! Estávamos com as mãos cruzadas, uma por cima da outra (as mesmas mãos em cima e embaixo), e com as pernas cruzadas (também na mesmíssima posição).

Ao acordar ambos demoramos um pouco para despertar, ficando alguns minutos nos espreguiçando. E espreguiçando da mesma forma! Além, claro, do relativo mal humor. Teremos problemas ao acordá-lo para ir pra escola! Vou provar meu próprio veneno.

Uma mania que eu tenho, após o banho enquanto me enxugo, é chacoalhar a perna e os pés para tirar o excesso de água e só então passar a toalha. Não é que o Biscoito fez esse mesmo movimento outro dia, depois do banho (e ainda molhado)?

Há coisas que podem ser creditadas ao fato de olhar, observar e copiar. Mas todas essas ações o Biscoito não teria como ter visto para poder copiar. Além de ser muito pequeno para ser capaz de fazer tudo isso por vontade própria sob influência de outra pessoa. Como por exemplo fazer bico ao dormir. Eu nem sabia que eu fazia até a Mamãe me contar!

A genética é realmente algo fascinante. Só espero que ele tenha a sorte de ter ficado apenas com genes bons.