Dia 3 – dia de ir pra casa!


Durante a madrugada o Biscoito foi levado ao berçário para retirar sangue para fazer alguns exames. Nós o acompanhamos, claro. Não íamos deixá-lo sozinho lá de forma alguma.

A maioria dos bebês estava chorando, mas o Biscoito estava tranquilo e sossegado, dormindo.

Quando chegou a vez dele, a enfermeira o pegou, levou até a bancada, e na hora de fazer a coleta de sangue, que é feita através da veia da mão, o Biscoito continuou calmo e sereno, agarrando inclusive a mão da enfermeira, como que dizendo “calma, eu sei que pode doer em mim, mas eu aguento”!

Depois da coleta a enfermeira não aguentou e deu um beijo nele. Depois nos disse que não tinha mesmo aguentado a fofura do Biscoito!

Ele voltou ao quarto conosco, e voltou para a fototerapia.

A Mamãe já estava com alta do obstetra, mas ainda faltava a alta do Biscoito. De manhã veio o pediatra conversar conosco, dando todos os resultados do exame da madrugada. Tudo normal! A única coisa que ele pediu é que déssemos um banho de sol todo dia, por cerca de 10 minutos, por causa da icterícia.

Aqui vale um parênteses: o que há de errado nas pessoas que chegam para falar com a gente sem antes escovar os dentes ou mascar um chiclete que seja? E ainda quer falar de perto!

O pediatra comentou sobre o peso. Ele nasceu com 2,805Kg, e nesse dia estava com 2,500Kg. Ele disse que é normal essa perda de peso, que os bebês nascem com uma reserva, e que a perda de peso dele estava dentro do padrão (mas por pouco).

O Biscoito recebeu alta, com uma recomendação de tomar complemento (fórmula) caso ele não fizesse xixi por 3 mamadas seguidas. Mas foi só uma recomendação. E também marcar pediatra para no máximo 7 dias depois…o problema é que tínhamos o carnaval no meio do caminho, então levaria um pouco mais de tempo.

Sair da maternidade carregando seu filho é algo que não tem explicação! Não é só o fato de sair com a Mamãe e o Biscoito bem, mas o fato de que a partir daquele momento, quase sempre, ao sair nunca mais seremos apenas Mamãe e eu, mas Mamãe, Biscoito e eu! Seremos 3 pessoas, seremos uma família!

E o medo de dirigir carregando seu filho no banco de trás, no bebê conforto? Parece que cada carro que chega mais perto vai bater e imediatamente adoto uma postura de direção defensiva. Sempre que andava com a Mamãe, já grávida, eu ficava com este medo. Mas com o Biscoito ali, visível pelo retrovisor, segurando a mão da Mamãe, o medo é muito maior!

Chegamos em casa e começamos o processo de aprendizado de tentar cuidar de um recém-nascido.