Dia 289 – Riso, Abraço e Felicidade


Quando se sonha em ser pai (e com certeza mãe), algumas imagens se formam, alguns desejos.

Deitar no sofá com ele no peito, enquanto faz um cafuné gostoso e ele fica quietinho, quase dormindo, ou dormindo mesmo.

Vê-lo no berço, seguro, protegido e feliz.

Ou ainda quando ele efetivamente vê você. No começo da vida eles olham, mas não veem. Só que chega o dia em que ele olha para você, no olho, e você percebe que ele está te vendo de verdade. Logo depois disso começam os sorrisos quando os olhares se encontram, e as brincadeiras de “cadê o bebê…achou”! E isso chega junto com as risadas e, coisa mais gostosa, gargalhadas! O Biscoito dá umas gargalhadas que fazem qualquer noite mal dormida ficar no passado remoto e encher o coração de felicidade.

A próxima fase é a dele descobrindo o ambiente, engatinhando. O Biscoito eu achava que talvez fosse pular essa fase e ir direto para o caminhar, já que ele adora ficar de pé (se levantando sozinho inclusive, claro que apoiado em algo). Mas ter equilíbrio para andar sozinho não é fácil, e nem todo lugar tem onde se escorar, então invariavelmente tem que engatinhar às vezes. No caso do Biscoito não é às vezes, é bastante! E quando ele liga o turbo então, corre porque ele foge!

Nesta fase, só faltava uma coisa ele fazer, e hoje ele fez. Ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, ele sempre ri pra mim, e quando chego perto pede colo, me dando um abraço gostoso. Mas hoje foi além. Ele estava no chão, brincando, e quando abri a porta e ele me viu, abriu um sorrisão e veio corren…..engatinhando no modo turbo! Nem esperei ele colocar as mãozinhas na minha calça para se levantar e pedir colo! Agachei, peguei e dei um abraço que foi deliciosamente retribuído! Nesse momento todo o estresse pelo trabalho, trânsito, cansaço, sono, fome somem, e fica só a sensação de ser pai. E dele saber que sou seu pai e que sempre estarei ao seu lado protegendo-o, cuidando, e amando-o.