Categoria: Opinião


Fazer o que quer ou o que deve?


Estava passeando pelo Twitter quando me deparei com isto aqui:

IMG_C5476BCA471C-1

Vivemos uma época em que tudo é problematizado, tudo vira mimimi, todos precisam ter um lado (querendo ou não). Hoje em dia o que mais se vê são jovens querendo ser socialistas vivendo no capitalismo. Como assim? Pois é! Querem ter celular top de linha, videogame com os últimos lançamentos, curtir a baladinha do momento, usar a última moda do gueto, mas não querem fazer nada para merecer isso. Nem digo trabalhar, porque esse é um conceito complexo demais que está caindo em desuso.

Aí me aparece um tweet desses aí de cima. O que causa ansiedade em crianças é ter pais ausentes, ambiente familiar ruim, maus exemplos, é deixar que façam tudo que querem quando querem onde querem. É, na prática, criar pessoas como do parágrafo anterior.

Não ensinar ao filho que muitas vezes ele terá que fazer coisas que não gosta, colocar ele numa bolha para que nada o incomode, sempre deixá-lo à vontade é o caminho correto para criar um reizinho. A vida possui regras. A sociedade possui regras. Não segui-las implica em ser enxotado. Na vida em sociedade você cumprimenta as pessoas, gostando delas ou não, querendo ou não. Se não fizer isso, em pouco tempo estará isolado pois ninguém irá querer estar ao lado de alguém que se acha superior. A vida é cruel, e nada nunca mudará isso.

No texto da reportagem diz que isso (forçar o beijo) deve ser evitado porque pode fazer a criança perder o conceito (ou não criá-lo) do que é um contato abusivo. Concordo com isso, sem dúvida. Jamais se deve forçar alguém (seja criança ou adulto) a fazer algo que não quer a menos que seja importante (ninguém gosta de tomar vacina, mas é importante, então tem que tomar querendo ou não). Mas não dizer à criança para dar um beijo em alguém, e insistir um pouquinho caso não queira, tenha paciência! Até porque nenhum responsável pedirá à criança que dê um beijo em alguém que não conhece. Pois aí deixa de ser responsável.

A cereja do bolo do texto está no seu final: os pais devem explicar à outra pessoa o que está acontecendo. Explicar por que meu filho não quer dar um beijo em alguém? Se um adulto precisa de uma explicação dessas é melhor ir procurar um psicanalista porque está com sérios problemas mentais ou de auto-estima. Ou talvez tenha sido criado num bolha…


Cuidado com a TPM


Seu bebê começa a chorar do nada?

Pega no colo e continua chorando?

Põe chupeta e ela voa longe?

Troca a fralda e além dela estar limpa, leva um chute na barriga?

Leva dedadas no olho enquanto está com ele no colo?

Aquele brinquedo que ele adora quase abre um buraco na parede?

A música que ele ama faz os decibéis do choro dobrarem?

As lágrimas escorrem no rosto e molham a roupa mais que a baba?

Deixa ele sem roupas e agora além de chorar, treme de frio?

Ele já dormiu bastante e não está com sono?

O horário da mamada ainda não chegou?

Certeza que é TPM. Essa velha conhecida de todo mundo e causadora de atritos entre os casais, às vezes provocando até brigas! Ninguém pensa na mamadeira quando aparece a TPM….Tensão Pré Mamada!


Licença-Paternidade: quem dera!


Vi hoje uma notícia sobre um servidor público do TRE de Santa Catarina que entrou na Justiça com um pedido de licença-paternidade de 180 dias. Ele e a esposa tiveram gêmeas, e ele se fundamentou na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que prevê que um pai solteiro que adota uma criança tem direito a uma licença igual à da maternidade, com mesmo período de tempo (artigo 392-A, § 5o).

Para quem for ler a matéria já recomendo não ler os comentários. É o chorume padrão de grandes portais, onde o pessoa citada na reportagem é sempre tratada como a errada. Chegam a dizer que se ele fosse funcionário de empresa privada ao retornar ao trabalho seria demitido. Isso demonstra a (in)capacidade intelectual das pessoas e a falta de empatia para com o outro.

Eu tive sorte de trabalhar numa empresa que me dá certa flexibilidade, e pude ficar quase 30 dias ao lado da Mamãe ajudando-a. Fiquei duas semanas completamente fora da empresa, 100% do tempo dedicado à Mamãe e ao Biscoito, e depois mais duas semanas em home office. Mas posso dizer sem a menor sombra de dúvidas: 30 dias é pouco! Se não fosse Dona Sogra estar junto, ajudando, tenho certeza que a Mamãe teria tido um piripaque.

Um bebê exige praticamente 100% do tempo de quem está cuidando dele. Pode não vai sobrar tempo sequer para fazer um lanche, quiçá um almoço! Dormir? Só cochilos curtos. Banho é um luxo. Por isso é essencial ter alguém junto.

Sem contar o mais importante: o vínculo que será criado entre o pai e o filho. Hoje em dia muitos ainda têm aquela ideia de que pai é o provedor, é o que deve trazer a comida, dar o teto. Eu acredito que pai é aquele que cria, cuida, ama. Pai não está aí para ajudar a mãe, mas para fazer quase tudo que ela faz, junto.

Pai dá banho, troca fralda, escolhe roupinha, põe pra dormir, faz massagem, conversa, brinca, chora, ri, abraça, beija. Pai que não faz isso talvez ainda seja pai, mas não sabe o que está perdendo.