Categoria: dicas


Conselhos


Reza a lenda que se conselho fosse bom não se dava, vendia. Mas que atire a primeira pedra quem nunca disse vou te dar um conselho. Durante a gravidez do Tomás o que mais ouvíamos era durmam, durmam muito. Sábio conselho.

Este texto é sobre uma série de conselhos que a Mamãe encontrou na internet, no perfil @a.maternidade do Instagram e que resolvi comentar. Vamos lá!

Queria contar dos conselhos úteis que nunca recebi.

Tenha sempre ovo na geladeira.

Você nunca sabe quando passará por baixo da sua janela alguém fazendo aniversário ou gritando às 11 da noite. Mas você também nunca saberá quando terá vontade de comer um bolo ou seu filho, de comer um ovo mexido (já aconteceu às 4:00 da manhã).

Não se anime muito antes de qualquer evento. O seu nível de empolgação é diretamente proporcional as chances de vômitos estilo exorcista, febre misteriosa e mudança repentina de humor.

No nosso caso, chances de quebrar uma perna.

Coloque a roupinha fofa hoje. Na data especial ela já não irá servir. Fato.

Terá sorte se ela ainda servir hoje!

Ninguém escova os dentes das crianças a cada refeição. Tá tudo bem, vocês não são os únicos (sorry dentistas).

Sei não, mas eu diria que nem dentista escova os dentes das crianças a cada refeição. Duvido que se lembre disso ao olhar o pimpolho repleto de abóbora, melancia e suco de laranja. Na roupa. No cabelo. No chão.

Cuspe na testa irá cair e os que não caíram ainda, fique tranquila, cairão com a chegada do segundo ou terceiro filho. Há cuspe estocado para reencarnações futuras.

Por isso que a Mary Poppins sempre andava com um guarda-chuva?

Crianças não precisam ser entretidas o tempo todo.

Mas se não forem prepare-se para choro, birra, desespero, caos.

A regra de que é proibido comer no carro e no sofá, não irá funcionar. Separe alimentos que fazem menos sujeira e aceite que dói menos.

Isso funciona, até o pequeno começar a escolher o que quer.

Jamais leve até a mesa, ou mostre para uma criança com fome, um prato com comida quente, recém tirada do fogão. Só vai causar mais choro.

No nosso caso, jamais mostre para a criança um prato com comida.

Deixe que o bebê brinque com panelas, potes e colheres de pau enquanto você cozinha.

Só tenha cuidado de não misturar as que você está usando com as que ele está usando. Ou terá que limpar muito mais coisas além de panelas.

Você determina o que pode e o que não pode. Metade dos “nãos” você repete sem saber porquê. Questione, faça o que funciona pra vocês.

O único problema é conseguir pensar no milésimo de segundo entre ver o que está acontecendo e o “não” sair da boca.

Mesmo que os seus filhos durmam, o seu sono nunca mais será o mesmo. E você nunca mais será amada dessa forma. Achou que o amor era de graça né?

Lembra do meu primeiro parágrafo? E não, eu não trocaria o amor deles por uma noite de sono!

13 e 14 são as idades mais desafiadoras. Depois vem os 15 e os 16 e você poderá tomar um ar.

Provavelmente sejam as mais desafiadoras, depois dos 2 anos, dos 3 aos 4, dos 5 aos 7, dos 7 aos 8, os 9…

Não engorde com resto de comida fria em pratinhos de plástico. Você merece mais. Se for pra comer resto que seja de bolo.

No nosso caso a comida fria é no prato de louça mesmo, e durante as refeições.

Todos terão opiniões sobre o seu maternar. Se importe com a opinião de quem merece (dica: quem merece não irá te aplaudir em tudo mas irá respeitar).

Se a opinião de todos for levada em conta, nunca nada será feito, pois cada um tem uma diferente. Muitas vezes o que conta mesmo é o feeling.

Não leve as coisas tão a sério. O grande impasse de hoje ficará minúsculo aos olhos de amanhã.

O que é questão de vida e morte hoje pode ser um mero detalhe amanhã. Mas que é difícil entender porque seu filho jogou o xampu todo no chão do box no momento em que acontece, isso é!

Para desafios leves e moderados, escolha a risada. É mais fácil convencer uma criança a entrar no banho na palhaçada do que na disputa.

A criança, rindo, faz qualquer coisa! Aliás, qualquer um faz! Alegria é tudo!

Não espere para tirar a foto.

Mas eu também diria para não querer tirar foto de tudo! Muitas vezes a melhor fotografia é aquele momento guardado na memória. Mesmo que seja só na sua.

O seu estado de espírito dita o clima da casa. Regule ao invés de entrar na deles.

Cadê o registro pra regular?

Você importa, a sua saúde física e mental são importantes, e o seus filhos precisam ter certeza que você acredita nisso.

Para ter filhos saudáveis é preciso uma casa saudável, para ter filhos felizes é preciso uma casa feliz. E numa casa assim vivem pessoas saudáveis e felizes.

Dia 270 – Joelho, canelinha, cabeçada


Que o Biscoito é um tanto quanto preguiçoso nós já sabemos. Que ele é esperto, também. E juntar preguiça com esperteza pode gerar coisas engraçadas, como ele adorar ficar com a perna cruzada, largado no chão, encostado em almofadas, vendo TV. Ou ainda terminar de mamar, expulsar com a boca a mamadeira, e imediatamente fazer biquinho esperando pela chupeta. E se demorar mais do que um segundo em colocar, ele começa a chorar.

Ele já fica de pé sozinho. Se escorando, claro! Não tem força nas pernas e muito menos equilíbrio. E sempre que chegamos perto dele, estica as mãos para pegar nas nossas, sempre uma mão dele em uma mão nossa! Nada de usar as duas mãozinhas para pegar em apenas uma nossa! Para que ele faz isso? Para levantar e andar! Pois é, ele adora andar conosco segurando as mãos dele. Só nossa coluna não curtiu muito. E nem pense em tentar segurar os braços ou pelo sovaco, pois ele vai pegar tua mão e tirar dali!

E ele não anda devagar não!!! Podemos dizer que quase corre quando quer!

Por tudo isso, eu achava que ele ia pular a fase do engatinhar, e ia direto para o andar. Mas me enganei! Ele resolveu que engatinhar pode ser legal, principalmente se não tem ninguém para segurá-lo por perto. Agora todas as barreiras que colocamos para ele não enfiar o cocoruto no chão caso perdesse o equilíbrio não são mais eficientes…ele pode facilmente passar por cima engatinhando. Ou empurrando, o que for mais fácil.

Até hoje a pergunta mais ouvida era “o Biscoito tá sentado?”….agora já deve passar a ser “cadê o Biscoito?”…


O “Um App”


Comentei aqui que há dois aplicativos que sempre usamos, e disse que o segundo merecia um texto especial.

O útero não é dos lugares mais silenciosos do mundo. Ao contrário, pode chegar até a uns 90dB (para efeito de comparação, uma conversação normal fica em cerca de 60dB, 90dB é o tráfego urbano e um show de rock fica por volta de 120dB). Então o bebê está acostumado ao barulho, até porque o som no útero não pára nunca, já que há o barulho da circulação sanguínea da mãe, das batidas do coração dela, movimentos estomacais e intestinais, e o próprio som ambiente que invade o corpo.

Quando estava chegando perto da vacina dos dois meses, recebi uma dica de um colega de trabalho que tinha acabado de passar por ela de que uma única coisa tinha conseguido acalmar a filha dele: um secador de cabelo! Pois é!! Apenas o barulho do secador ligado acalmou o bebê. Achei estranho, mas quando a Mamãe ligava o secador (e era praticamente todo dia), o Biscoito não surtava, não se assustava, e até ficava um pouco mais calmo na maioria das vezes.

Já tínhamos uma prova de que barulho ou música acalma o Biscoito. No carro, quando ele começa a chorar porque o velocímetro foi ativado, música geralmente consegue acalmá-lo. Há uma que sempre funciona, pelo menos até a segunda repetição: Trem Bala, da Ana Vilela. Há uma outra que, com muita alegria, descobri que ele também gosta: Lullabye, do Billy Joel (que aliás tem uma letra linda, assim como a música da Ana Vilela).

Uma vizinha do prédio deu uma dica de aplicativo, para simular o barulho do secador. Não levamos muita fé, mas a Mamãe resolveu dar uma colher de chá, e não é que funciona? Quando o Biscoito está muito nervoso, chorando ou se recusando a dormir basta abrir o Sleep Baby Sleep (esse também tem pra Android), selecionar o barulho de secador, colocar o celular perto dele, e pronto! Na hora ele sossega, e muitas vezes dorme. Além do secador também tem barulho de máquina de lavar, aspirador de pó, ventilador, torneira e, claro, útero.

Só que não adianta deixar o barulho meio longe! Outro dia coloquei o som nos falantes do carro, pensando que talvez ficasse melhor, mas não teve efeito nenhum. Só resolveu colocando o celular perto dele. Mas pelo menos resolveu!


Aplicativos…necessários?


Assim que o Biscoito nasceu começaram as dúvidas e esquecimentos sobre quando foi a última mamada, quando foi a última troca de fralda, quanto de xixi ele fez, se fez cocô também, quanto ele dormiu…na cabeça de alguém de TI como eu, nada melhor que um aplicativo para controlar tudo isso!

Fui atrás de alguns e acabei instalando dois, para ver qual se saía melhor. Após os testes, que duraram exatamente um dia, percebi que seria uma tremenda estupidez usar qualquer um deles para qualquer coisa relacionada ao Biscoito! Eles permitem guardar peso, altura, quantidade de leite que mamou, se foi mamadeira ou peito, quanto dormiu, etc., porém precisa que alguém coloque essa informação! E acha mesmo que íamos lembrar de abrir o aplicativo depois de tentar dar de mamar, o Biscoito se contorcer de dor por causa da cólica, correr para esquentar a bolsa térmica, tentar terminar de dar de mamar, trocar a fralda e ficar sei lá quanto tempo ninando ele até dormir? Depois dessa maratona, que se repetia a cada 3 horas, com mais ou menos surpresas, alguém ia lembrar de atualizar um app no celular?

Mas há aplicativos úteis! Há dois que tanto a Mamãe quanto eu usamos, e muito.

Assim que o Biscoito começou a dormir no berço, óbvio que precisávamos de uma babá eletrônica para poder vê-lo e ouví-lo. Eu tenho uma câmera IP, dessas comuns muito usadas para monitoramento (mais especificamente, esta). Comecei a procurar alguma forma de talvez fazê-la transmitir para a TV que temos no nosso quarto, e enquanto buscava algum aplicativo no celular que permitisse tal gambiarra (pois a TV é burrinha) encontrei o Baby Monitor (iOS apenas….acho que não existe para Android). Ele se conecta na câmera via roteador WiFi, permitindo controlá-la (movê-la, colocar em modo infra-vermelho, etc.).

Via compras dentro do aplicativo há a opção de habilitar a gravação de áudio e vídeo, controlar múltiplas câmeras e suporte ao Chromecast (US$ 1.99 para tudo isso). Mas o principal, que é uma outra compra separada (US$ 4.99), é o monitor de áudio: ele exibe um gráfico (que tem escala de últimos 2 minutos, 10 minutos, uma hora ou 6 horas), mostrando todos os momentos em que apareceu algum barulho (e sua intensidade), permitindo configurar um nível de barulho a partir do qual o app emite uma notificação.

Infelizmente não possui suporte às compras familiares, então cada aparelho precisa fazer a compra.

Sempre que colocamos o Biscoito no berço, um dos celulares está aberto nesse app para ficarmos de olho.

O outro aplicativo merece um texto separado, só para ele!


Dia 89 – 3 Meses de Gostosura


Eu sei, eu sei, sempre vou começar estes posts explicando que ele não faz aniversário ao completar as semanas exatas, por um motivo simples: nasceu em fevereiro, então faz mesversário uns dias antes de completar os meses exatos! Mas não estamos nem aí! 😛

Não íamos fazer um bolo, pois lá atrás combinamos que faríamos um ao completar 1 mês, e depois só com um ano! Afinal, dinheiro pra comprar fralda, roupa, pagar vacina e pediatra não nasce em árvore. Mas 3 meses é uma marca importante! É uma marca na qual muitas mudanças acontecem no bebê e que deveria ser comemorada! Então pedimos um bolo. Esse aí da imagem!

Por que da Peppa Pig? Porque ele gosta desse desenho! E antes que comecem a jogar pedras, facas, foices e bombas dizendo que estamos colocando o Biscoito na frente da televisão, vamos deixar claro que não é porque queremos, mas porque ele realmente gosta! Ele presta atenção ao desenho. E se o tiramos começa a chorar e fica movendo a cabeça tentando manter os olhos nele. E a questão não é a TV, é o desenho efetivamente!

Há mudanças gritantes no Biscoito agora, como ele sorrir de verdade (e não apenas os espasmos quando está dormindo), e às vezes gargalhar! Também está mais falante, mais brincalhão, e, claro, começando a querer levar tudo pra boca. O pescoço está mais duro, ele tem um controle quase total sobre a cabeça movendo-a para onde quer e olhando na direção dos sons, e já quase está ficando sentado durante o banho.

Infelizmente ele mesmo não participou muito da festa! Como tinha tomado as vacinas contra meningite no dia anterior, e essas vacinas derrubam mesmo (provocam reação sempre), ele ficou com febre e desanimado, então preferimos deixá-lo quietinho no berço enquanto destruíamos a casa da Peppa…


Dia 87 – Das Pequenas Alegrias


Ontem, para dar um descanso aos braços da Mamãe, fiquei com o Biscoito assim que cheguei em casa do trabalho. Mais à noite, depois do banho e da mamadeira, ele acabou dormindo no meu colo. Consegui ficar sentado no sofá, enquanto assistíamos Masterchef (que aliás nos deu uma vontade enorme de comer sardinha…a qual foi saciada depois).

Em dado momento eu olhei pra ele, e ele estava com os olhos bem abertos, arregalados mesmo, olhando pra mim, e assim que olhei ele sorriu! Mas não foi um sorriso pequeno, ele realmente deu uma risada, daquelas que mostram todos os dentes, exceto pelo fato dele não ter nenhum.

Hoje de manhã, antes de sair para o trabalho, preparei a mamadeira que a Mamãe daria pra ele, e ela deu a ideia de eu tirá-lo do berço para que ela pudesse dar o tetê, assim poderia dar um abraço nele, beijá-lo e desejar um bom dia antes de sair. Ele não estava chorando, apenas se mexendo e se espreguiçando (já falei como ele se espreguiça gostoso?), e assim que apareci para pegá-lo ele já esboçou um sorriso. Quando o peguei então ele efetivamente sorriu!! Aí não resisti e tive que dar um abraço bem apertado nele! E ele continuou sorrindo!

São pequenos atos, pequenas reações que fazem nosso coração se encher de felicidade, e deixam o dia mais leve e alegre. Sair de casa depois de um sorriso do seu filho não tem preço! O dia passa mais rápido, pois você sabe que ao chegar em casa ele estará lá, te esperando, pronto para mais uma risada!


Dia 72 – Visita ao Pediatra


Mais uma visita ao Dr. Atra, mais algumas dúvidas sanadas, e mais algumas preocupações a caminho.

O Biscoito anda com o narizinho ruim, a ponto de às vezes não conseguir dormir bem por não respirar direito. O médico auscultou o peito dele e disse que o pulmão está completamente limpo. Menos mal! O problema é realmente no nariz e na fossa nasal, que está com sujeira, e a recomendação é continuar fazendo o que estamos fazendo: nada! Exceto pelo vidro de rinosoro semanal que colocamos nele (semanal no sentido de que toda semana compramos um). E continuar usando o aspirador nasal. E continuar dando banho com o chuveiro aberto para deixar o banheiro bem úmido. Ok, fazemos algo.

Momento revelação: quem usa o aspirador é a Mamãe! Admito que não consigo! 🙁

O Biscoito está ótimo de saúde, com 55 centímetros e pesando 5,420 Kg. Ou mais ou menos isso, pois ele não ficou quieto um único segundo em cima da balança, então o médico chutou um valor médio para o peso.

E falou da próxima vacina: contra os meningococos. No posto é dada a vacina contra o meningococo do tipo C (monovalente). Nas clínicas há outra vacina que previne contra os tipo A, W e Y, além do C (quadrivalente), e uma outra contra o do tipo B. A recomendação do médico é dar a vacina contra o tipo B na clínica, e a outra pode escolher entre dar no posto ou na clínica. A questão é que em algum momento o Biscoito terá que tomar a vacina quadrivalente para uma melhor proteção.

O problema dessas vacinas é que elas dão reação. Ele foi enfático! Vai ter reação, e disse inclusive que essa é a única vacina em que é recomendável dar remédio para o bebê antes da aplicação!

Teremos um belo final de semana… #sqn! Ainda bem que não será no final de semana do dia das mães!


O bebê-conforto


Quando compramos o carrinho procuramos um que já viesse com o bebê-conforto. Achamos um modelo que parecia bom, que já vinha com carrinho que se transforma em moisés, bebê-conforto e sua base, da Safety 1st.

Li o manual, fiz um teste de instalação do bebê conforto no carro, e foi tudo bem. Então achei que estaria tranquilo. Mas na saída da maternidade nada é tranquilo, nada é favorável!

Fiquei uns 10 minutos tentando colocá-lo no carro, até que desisti e aceitei a recomendação da Mamãe, meio a contragosto como todo homem, de chamar alguém do próprio estacionamento para ver se consegue colocar. Havia um manobrista especialista no assunto. Mostrou como coloca, e aí veio a primeira surpresa: eu estava colocando a base e depois o assento. Só que quando é recém-nascido não se coloca a base! A base vai apenas quando o bebê ficar maior, já sentado. No bebê conforto ele vai deitado mesmo.

O manobrista deu uma indireta, nas verdade um jab no queixo, sobre caixinha, mas eu estava sem um tostão no bolso (na verdade eu raramente tenho dinheiro na carteira). E levei bronca da Mamãe por isso!

Ao chegar em casa retirei o bebê conforto pois ele estava com dois encaixes que são usados apenas quando colocado no carrinho, e que poderiam danificar o estofado do carro. Não prestei atenção em como ele estava bem encaixado e preso, e na hora de recolocá-lo para levar o Biscoito ao pediatra foi mais um sufoco!

Dica de ouro: instale e remova o bebê conforto várias vezes, antes do nascimento, para ter certeza que sabe fazer e não ficar desesperado com um bebê chorando enquanto tenta fazer o serviço.