Mês: dezembro 2019


Tudo depende do ângulo


Às vezes precisamos ver uma cena à distância, sob outro ângulo, para ter a visão correta. Às vezes precisamos estar longe para sentir a emoção e entender o que está acontecendo, por mais contraditório que isso seja.

Na imagem acima estou colocando as luzinhas de Natal na sacada de casa, e o Tom está ali inspecionando tudo.

Enquanto eu estava fazendo o trabalho e ele na minha perna, eu só tinha receio dele perder o equilíbrio e cair, ou dele subir no móvel, ou se pendurar na rede…ok, a rede está ali justamente para impedir a queda dele, mas nunca queremos comprovar o quão eficiente ela é! E também pedia pra ele descer para que eu pudesse descer e mover a escada.

Mas graças a essa foto que a Mamãe tirou pude ver que para ele aquilo era outra coisa, aquilo era ele fazendo algo junto do pai, me ajudando, participando. E o principal: sentindo que ali eu estou para protegê-lo de qualquer coisa! A imagem dele agarrado na minha perna me demonstra que ele confia em mim, que ele acredita em mim.

Ele não queria apenas olhar para fora, ou enxergar as coisas mais do alto, ele queria se sentir útil. Da mesma forma quando chegamos com compras do mercado e ele corre para tirar tudo das sacolas ou das caixas, mesmo que de forma destrambelhada. Ou quando estamos cozinhando e ele pede para lavar a salsinha ou descascar o alho (sim, ele faz isso, e muito bem diga-se de passagem).

Ou quando pede a concha para se servir de comida, mesmo que ainda tenha no prato ou que metade dela fique no caminho entre a panela e o prato. Ou quando te puxa pela mão para ir buscar alguma coisa no quarto dele, que depois você descobre ser a borracha que a mãe acabou de pedir e ele lembrava onde estava…só não alcançava para pegar (spoiler: não estava, mas não importa).

Ele apenas quer fazer as coisas, quer aprender, quer participar.

E às vezes somente à distância percebemos isso. Obrigado pelo foto, Mamãe!