Mês: janeiro 2018


Dia 336 – Beijinho, Beijinho, corre que o Papai vem aí!


Quase todo dia de manhã, ao acordar, a Mamãe me liga via Facetime para dar bom dia e para eu dar bom dia pra ela e pro Biscoito. E todas as vezes ele coloca o celular na frente do Biscoito para que eu o veja e ele me veja. Já tem um bom tempo que ele me reconhece, muitas vezes até tentando pegar o celular (e às vezes conseguindo). Antes de desligar eu mando beijos para ele….e nesta segunda-feira ele mandou um beijo de volta!

Ok, não foi assim um beijo de verdade, mas o movimento da boca indicou que era isso exatamente o que ele queria fazer! Surpresa e felicidade total minha e da Mamãe!

E neste mesmo dia ele demonstrou mais uma vez que já está com vontades próprias. Sempre que está no chão nós temos que ficar atrás dele para evitar que pegue chinelos, sapatos, sacolas, fios, rabo de gato, etc. Nós tínhamos acabado de chegar, e compramos uma roupinha pra ele. Tiramos a etiqueta, para colocar a roupa pra esterilizar, e a etiqueta caiu no chão. Ninguém viu e ficou ali por um tempo, até que o Biscoito engatinhou até ela, cuspiu a chupeta, pegou o papel e foi colocar na boca. Nessa hora eu vi, e fui até ele dizendo as palavras mágicas que todo bebê aprende a reconhecer imediatamente: “não, não pode!“.

O que ele fez? Segurou o papel e antes que eu chegasse saiu em disparada, fugindo de mim! Claro que o saindo em disparada não é nem de longe uma velocidade Usain Bolt….tá mais pra Dorival Caymmi pós-feijoada, e 1 metro depois o peguei e tirei a etiqueta da mão.


Dia 329 – A Primeira Peça


Papai e Mamãe sempre fecham a porta do banheiro quando estou no chão. Acho uma tremenda sacanagem! Tem tanta coisa legal lá….tem um lugar que se empurrar um troço transparente, ele dobra e às vezes cai água do teto! E tem um monte de coisas grudadas nas paredes, que parecem desenhos.

E aquele negócio branco que parece um troninho e tem tampa? Eu quero ver o que tem dentro mas ninguém deixa! Sempre tiram minha mão quando vou levantar a tampa ou Papai coloca o joelho pra impedir, enquanto ele está enchendo a banheira pro meu banho!

Eles também fecham a porta do quarto deles. Eu adoro lá dentro! Quase sempre tem algum sapato no chão pra eu sentir o sabor! Também tem um tapete tão gostoso, que adoro ficar sentado nele enquanto puxo aqueles fios pra tentar fazer a TV descer e ficar mais fácil pra ligar e desligar. Sem contar aquela caixa grande atrás do armário, de onde o Papai tirou uma vez um negócio esquisito com um monte de cordas que ele fez sair som…..gostei tanto!! Pena que ele não faz isso muitas vezes….

Pelo menos meu quarto sempre fica aberto! Também, lá estão todos meus brinquedos! Eles iam ver só se o deixassem fechado! Hoje eu descobri um lugar muito legal, novo, e não sei porque a Mamãe ficou tão brava ao me ver ali! Ela sempre tenta me colocar lá em cima para dormir, mesmo eu já tendo falado pra eles várias vezes que prefiro dormir com eles. Entrei embaixo do berço e descobri várias caixas fechadas, que não consegui abrir! Será que são brinquedos que eles estão guardando pra mim? Se eu pedir com jeitinho será que eles me dão agora?

Quando o Papai chegou, eu entendi o porque da Mamãe ter ficado brava quando fiquei embaixo do berço…hihihi! Eu estava brincando enquanto ela cuidava da casa, e quando ela foi me procurar não me encontrou! Buscou em todo lugar, e eu fiquei quietinho pra ela não perceber onde eu estava pois ela ia querer me tirar de lá, tenho certeza!! E lá é tão gostoso, fresquinho, escurinho! Só que aí acabei fazendo barulho e ela percebeu…mas não brigou comigo não! Acabou achando engraçado, só não sei por que…


Dia 328 – Um Passeio Quase Cultural


Domingo de sol, clima gostoso, e um bebê para ensinar coisas novas, lugares novos e estimular e cansar bastante! Estávamos querendo já faz tempo sair com ele para ir a um parque, pois das outras vezes que ele foi ao Ibirapuera ainda era pequeno (menor do que é hoje), e não aproveitou muito pois ficou quase que o tempo todo no carrinho. Só que sempre chovia ou estava frio.

A Mamãe tinha lido sobre um espaço para crianças montado nesta época de férias no Museu da Imigração (parece que o site está fora do ar) com brinquedos, brincadeiras e até pessoas contando histórias para os pequenos. Achamos que seria ótimo, e é um lugar que a Mamãe nunca tinha ido! Então fomos!

Eu já conheço o local, e sei que as redondezas não são a melhor coisa do mundo em matéria de segurança, limpeza e afins, mas também sei que o museu em si é bem interessante e muito bem cuidado. Achei o espaço que fizeram para essas atividades um pouco acanhado, pois esperava mais presença de pessoas inclusive. Estão utilizando uma sala, onde separaram um espaço bem cercado onde só entram as crianças e os responsáveis, todos devidamente descalços.

Há tapetes de EVA por todo lado, uma área com pufes para a leitura de alguns livros que estão disponíveis por lá, muitos brinquedos manuais, algumas mesas para os pequenos pintarem (com direito a desenhos impressos e giz de cera), e por aí vai. A entrada é controlada para não haver super-lotação. Eles avisam que o tempo de cada criança lá dentro é de 30 minutos, para que todos possam aproveitar bem o local, mas como estava relativamente vazio, esse controle não estava sendo feito.

A primeira coisa que o Biscoito viu e foi correndo era um cavalinho de plástico, no qual ele pôs a mão e a Mamãe imediatamente o colocou em cima. Definitivamente ele adorou, mesmo tendo um igualzinho no playground de casa. Depois ele pegou um caminhão de madeira, que usava apenas como apoio para engatinhar. Ele adora pegar alguma coisa para ficar segurando enquanto engatinha, assim não precisa ficar levantando a mão….basta empurrar!

Na cama elástica ele não ficou muito tempo, mas o tempo que ficou riu até não poder mais! Só ele podia entrar então nós ficamos de fora apenas balançando o piso para ele ficar pulando! Acho que se ele pudesse falar teria dito “quero uma dessas no meu quarto”!

Mas o local em que ele mais ficou foi, sem dúvidas, a piscina de bolinhas! Não era grande, mas o suficiente para 3 ou 4 crianças brincarem sem esbarrar uma na outra. Ali ele gastou bastante energia, sem dúvidas!

Demos o almoço para ele na lanchonete do local e fomos para o Mooca Plaza Shopping, ver o Quarto do Andy. Uma área de 150m² repleta de bolinhas! Sim, uma piscina de bolinhas gigante, com bolinhas chegando até os joelhos de um adulto!

Eu não quis entrar ali com o Biscoito porque ele é pequeno demais para algo assim, ainda mais que ele sequer anda sozinho ainda. Seria muito perigoso para um bebê. O que é uma pena, pois eu tenho quase certeza que ele se divertiria muito!!! Poderiam fazer sessões para bebês, cobrando um valor mais alto (o preço é de R$15,00 por 15 minutos).

E aposto que deve ter muito marmanjão chamando o sobrinho pra ir lá só pra poder entrar na piscina!


Dia 327 – O Biscoito, o Cinema e o Restaurante: Uma Cólica Extraordinária


A Mamãe estava doida para ir no cinema assistir um filme, mas com o Biscoito fica meio difícil (a menos que alguém…cof cof Dona Sogra cof cof…fique com ele), pois ir no cinema com um bebê é, acima de tudo, extremamente desrespeitoso com as outras pessoas que estão na sessão! Ele vai chorar, vai ter fome, talvez fique impaciente e queira brincar, enfim um tormento para quem não tem filhos ou simplesmente quer um momento de paz numa sala de cinema.

Aí ela descobriu o CineMaterna. A ideia é simples: sessões de cinema especiais, em horários alternativos, onde mães podem levar seus bebês. E bebês mesmo!! Poucos ali já andavam! E eu falei mães??? Pais também! Eu diria inclusive que a esmagadora maioria dos bebês estava acompanhada de mãe e pai.

As sessões são em sua maioria durante a semana, no período da tarde, o que nos complica a vida já que eu tenho que trabalhar! Mas uma vez por mês fazem uma sessão aos sábados! E ela ocorreu neste sábado, no Shopping Vila Olímpia. Nunca vi um congestionamento tão grande de carrinhos de bebês. Fomos Mamãe, Biscoito, tio Kadu, tia Dedéia, priminho Ben e, claro, eu.

A organização do evento foi impecável ao meu ver. A sala em momento algum fica no escuro total, na área embaixo da tela, que tem um espaço relativamente grande, foram colocados dois trocadores para que ninguém precise sair da sala em caso de urgência, colocaram tapetes de EVA para os bebês brincarem, e montaram um estacionamento para os carrinhos do lado de fora da sala (isso inclusive explica perfeitamente o porquê das sessões serem em horários alternativos e não haver mais nenhuma sessão em nenhuma sala…seria complicado o trânsito de muitas pessoas por ali).

Durante o trailler, demos banana para o Biscoito, então vira e mexe ele dava uns gritos do tipo “acabou o pedaço que estava na minha boca, tem jeito de dar mais uma mordida ou tá difícil?“, que a princípio me deixaram um pouco encabulado pensando no que os outros iam falar. Só que aí lembrei (na verdade meus ouvidos me lembraram) que havia outras dezenas de bebês ali, e todos estavam fazendo a mesma coisa! Em alguns momentos durante o filme parecia haver uma sinfonia com tantos bebês chorando!

Pouco antes do filme começar ele ficou mais chatinho, aí lembramos que a chupeta poderia resolver o problema. Só que ela ficou no carrinho, estacionado lá fora da sala. Acabei indo com ele buscar a dita e voltamos. Ele ficou por cerca de 1/3 do filme pulando do meu colo para o colo da Mamãe, até que o sono começou a bater mais forte e eu desci com ele, para caminhar na parte de baixo da sala. Assim a Mamãe poderia continuar a ver o filme e ter um pouco de descanso.

Eu não era o único aliás. O corredor lateral da sala tinha bastante gente na mesma situação. Ele dormiu rapidinho e eu decidi ficar lá embaixo mesmo, assim não correria o risco dele acordar. Já perto do final voltei pro nosso lugar e, obviamente, ele acordou! Mas aí já estava mais tranquilo.

Ao final da sessão, fomos pra praça de alimentação dar o almoço pros bebês e pensar onde nós almoçaríamos. Decidimos ir num restaurante italiano, onde fomos muito bem recebidos pelo dono/chefe/maître/sócio/sei lá eu o que e fomos pra mesa. Chegou o couvert e começamos a comer. O couvert era pão e um prato com ervas e azeite.

O pão chegou quentinho na mesa, e a titia Dedéia deu um pedacinho pro Ben. Mamãe pensou um pouco, já que o brócolis e a banana que tínhamos levado já tinham sido devorados pelo Biscoito, perguntou o que eu achava, e concordamos em dar uma fatia pra ele.

Não preciso dizer que sequer migalhas ficaram pelo chão, né? Havia banana, brócolis, guardanapo, colher, garfo, mas pão? Nadinha!

Ele chupava o pão como se fosse uma lasanha (espera só ele provar uma de verdade…). Chegou a ficar com um pedaço em cada mão e outro na mesa. Mordia de uma mão, mordia da outra, pegava com a boca o pedaço da mesa, e assim foi até terminar.

Mas claro que tanta delícia cobra seu preço: à noite ele teve uma cólica forte, onde a barriguinha dele ficou até inchada e dura. Chorou bastante e só passou depois que demos remédio.

Mas tenho certeza que ele repetiria a dose mesmo sabendo o que passaria à noite! E nós? Com certeza!!!!!

Ahhhhh….qual era o filme? Já estava quase esquecendo! Foi Extraordinário. Belo filme! Valeu a pena!


Dia 324 – Show de Sombras


Em muitos dias, depois da mamada da manhã (que normalmente é por volta das 6), o Biscoito vai pra nossa cama para continuar dormindo. Em dias da semana ele fica cuidando da Mamãe no meu lugar, e durante o final de semana fica entre nós.

Quando ele acorda, ou nós o acordamos, ou a Mamãe o acorda, ainda ficamos um tempo na cama brincando com ele. É quase sempre uma delícia quando ele acorda, pois via de regra está de bom humor, sorrindo, brincando, conversando. Então é um momento delicioso.

Neste manhã, ao acordar, o quarto ainda estava escuro e a Mamãe estava com a lanterna do celular ligada. Ela aproveitou para brincar com ele de fazer sombras com a mão. O Biscoito ficou olhando os jacarés, borboletas, pássaros, cães….e depois de um tempo ela parou e disse pra ele “acabou“.

O menino sentou na cama, olhou pra ela, e bateu palmas!


Dia 323 – Cuidado com o dedo!


Há mais ou menos um mês o Biscoito teve uma febre, do nada. Depois de algum tempo veio o cocô mole, quase líquido. Todos que já tiveram muito contato com criança disseram “é o dentinho saindo“. E todo pediatra sempre diz que não tem nada a ver. Só que o fato é esse: antes do dente sair quase sempre tem febre e diarréia.

Então achamos o que a sabedoria popular diz: o dentinho estava pra sair. A gengiva estava um pouco mais inchada, e ele começou a coçá-la passando a língua. Aliás, era uma cena hilária ele passando a língua!

Já tem alguns dias que ele não está dormindo direito, e ontem foi jogo duro! Durante a tarde a Mamãe ficou 2 horas tentando fazer ele dormir, o que só aconteceu quando eu cheguei e fiquei com ele um pouco no quarto dele. Dormiu por uma horinha, suficiente para acordar bem, com pilha recarregada e para comer sem muitas reclamações.

Durante o jantar demos dois talos de brócolis e dois palitos de cenoura pra ele ir beliscando entre as colheradas da comida. A Mamãe já havia notado, e eu também percebi que ele estava mastigando tudo de lado.

À noite para dormir foi triste. Fizemos todo o ritual: banho, mamadeira, ficar um pouco no colo na poltrona e berço. Isso começou às 21:30. Era meia noite e eu estava no quarto dele sentado na poltrona com ele dançando no meu colo, depois da Mamãe ter ficado mais de uma hora com ele se movendo pela nossa cama.

Hoje, durante o almoço, a Mamãe viu o porque de toda essa agitação: o dentinho apontou! Não é mais uma marca branca na gengiva, é uma ponta branca pra fora mesmo!

Portanto, a partir de agora, as mordidas dele passaram da fase “que gostosinho” para a “ai, mordeu forte”. Em breve chegará na fase “car****, deixou marca”, e por último a “p*** que p****, tá sangrando”.