Mês: outubro 2017


Dia 244 – Atenção, Berço em Obras!


O Biscoito já há algum tempo fica de pé. Não sozinho, claro, mas segurando nossa mão ou tendo algum apoio.

Aliás, é lindo quando está deitado e estica os bracinhos, pedindo para darmos as mãos pra ele segurar e ficar de pé. A cara de esforço dele é impagável! E o rosto de felicidade ao ficar de pé então, é mágica! Mas nem pense em fazer só metade do caminho, deixando-o sentado, a menos que queira ouvir choro. Muito choro!

Ele também já se vira sozinho, no sentido de virar de barriga pra cima e barriga pra baixo. Muitas vezes ele está sentado, aí vai escorregando e acaba ficando de barriga pra baixo. Até a semana passada ele tentava se desvirar, não conseguia, e nos chamava para salvá-lo…ao escrever chamava estou querendo dizer gritava ou chorava, ok?

Mas neste domingo pela primeira vez eu vi ele se desvirando sozinho enquanto brincava no tapete da sala. Ele também já se movimentava no berço enquanto dormia. Sempre o colocamos bem pra cima no berço, pois há um travesseiro anti-refluxo embaixo do lençol, para ele ficar um pouco inclinado, e hoje já é normal depois de um tempo ele estar com os pés escostados na parte de baixo do berço. Isso, claro, quando não está virado, tendo girado 90 graus.

E neste domingo também o coloquei no berço, sentado, encostado no protetor que fica junto à parede, enquanto fui encher a banheira para o banho dele. Deixei alguns brinquedos para ele ir se distraindo.

Depois de um tempinho fui olhar como ele estava.

Tive que sentar na poltrona pois não acreditei: estava de pé, segurando na grade do berço, na parte que fica para o quarto. Ele atravessou o berço (ok, não é uma distância grande, já que é apenas a largura do colchão), e subiu sozinho na grade.

Depois do susto veio o orgulho por ver ele fazendo as coisas sozinho, cada vez mais independente! E a certeza de que nesta segunda-feira teremos obras no berço para rebaixar o colchão.


Dia 240 – A Maçã e o Cansaço


Há noites que parecem dias com o Biscoito. Em todos os sentidos! Parecem dias porque ele fica um tempão acordado esquecendo que é de noite e que deveria dormir, e parecem dias porque duram uma eternidade. Nessas noites, se é durante a semana, a Mamãe dorme pouco, se é final de semana, nós dois dormimos pouco, pois mesmo eu cuidando dele, a Mamãe fica acordada.

Então chega uma hora em que você não sabe mais nem o caminho da cozinha, quanto mais o que foi fazer nela.

Teve uma noite especificamente que o Biscoito acordou quase que de hora em hora…isso nas poucas horas em que ele dormiu, pois ficou várias acordado. Então na noite seguinte estávamos os dois cansados. Durante a noite, numa das mamadas, eu só lembro de estar em pé na cozinha, na frente da fruteira, olhando pra ela e pensando se não tinha alguma outra coisa para comer na geladeira.

Eu jurava que a Mamãe tinha pedido algo pra comer. Olhei pra meia maçã que tinha sobrado da sobremesa do Biscoito, tirei o plástico, coloquei numa tigela, e levei pro quarto, deixando no criado-mudo ao lado da Mamãe.

Ela achou que eu tinha levado um copo de água.

No dia seguinte ela me perguntou porque eu levei a maçã. A resposta foi um simples e confuso “não faço a menor ideia“!

Quem sabe se daqui alguns anos, quando estiver fazendo uma sessão de regressão no psicólogo não descubra o que pensei nessa noite.


Dia 242 – 2/3 do primeiro ano se passaram


Há 8 meses atrás ele estava nascendo. Vinha ao mundo a pessoinha que mudaria completamente nossa vida, virando tudo de ponta-cabeça, chacoalhando, revirando e nos fazendo sentir uma felicidade que não tem explicação.

Não tem explicação chegar em casa e receber o sorriso dele, com os braços abertos, pedindo colo.

Não tem explicação correr pela casa com ele no colo brincando, e ouvir sua gargalhada.

Inexplicável é ver a alegria dele ao acordar e ver que a Mamãe e o Papai estão ali, do lado.

Sem explicação a alegria dele no banho, tentando ficar de pé para olhar o que tem embaixo da banheira.

Inexplicável ter noites mal dormidas porque ele chora, ou sente desconforto, e nós temos que niná-lo para que ele descanse, e não se arrepender nem por um segundo de nada.

Não dá para explicar ele olhar para nós, ver o amor, a ternura e a segurança nos olhos dele, nos dando a certeza de que estamos fazendo tudo certo.

Nada disso tem explicação, e mesmo que tivesse, não faz a menor diferença, pois sentir e ver tudo isso faz tudo ter sentido. Mesmo sem sentido.

Três quartos do primeiro ano de vida do Biscoito se passaram. Logo logo chegará o aniversário dele. É muito rápido. Rápido demais. E indescritível!

 


Dia 221 – Chama o Padre Quevedo!


Estávamos Mamãe e eu saboreando um delicioso pão com manteiga no balcão da cozinha junto a um fumegante café de coador, com o Biscoito placidamente sentado no sofá assistindo seu desenho predileto: Luna! Ou Mundo Bita! Ou Canções de Ninar! Ou seja lá o que estivesse passando pelo YouTube naquele momento.

Nós estávamos com visão total sobre ele, então posso garantir que ele estava placidamente sentado, sim!

Mamãe e eu conversávamos sobre aleatoriedades do dia a dia, como a queda do dólar, a taxa de popularidade do Trump, o último eliminado do Masterchef, a gritaria da última hora no Twitter/Facebook, quando o volume da TV aumentou um pouco.

Normal…muitos canais de TV aumentam o volume durante as propagandas, só para irritar as pessoas.

Aí ele diminuiu bastante. Isso não é normal, até porque não foi o volume do programa que baixou, mas o volume da TV (apareceu o indicador de volume), e ela estava passando vídeos do YouTube que (ainda) não fazem isso. Aí eu olhei pra Mamãe, ela olhou pra mim, e nessa pequena troca de olhares passaram por nós indagações do tipo “seria o prédio construído sobre um cemitério indígena?”, “estaria a TV possuída por um espírito brincalhão?”, “teria o vizinho descoberto a senha do WiFi e pelo celular estaria nos trollando mexendo no volume da TV?”, “teria a TV ficado maluca e estaria alterando o volume sozinha?”, e antes que corrêssemos para as montanhas gritando “salve-se quem puder”, fui até o sofá onde o Biscoito estava placidamente sentado.

E ele continuava placidamente sentado….com o controle remoto da Net se afogando na boca. Controle esse que também mexe no volume da TV.

Resgatei o controle, troquei pela tartassauro, e após constatar que ele (o controle) ainda funcionava, voltamos ao nosso café.